Publicado 09 de Setembro de 2014 - 11h29

Por Delma Medeiros

Denise Maricato com um retrato do maestro campineiro

Cedoc/ RAC

Denise Maricato com um retrato do maestro campineiro

O maestro campineiro Antônio Carlos Gomes será homenageado pela Opera Dolce, em Nova York, no dia 11 de outubro. Sob a regência do maestro brasileiro radicado nos Estados Unidos, Néviton Barros, e com o tenor Luiz Otávio Faria, a Opera Dolce vai interpretar diversas obras de Carlos Gomes, começando com o hino Il Saluto del Brasile, e seguindo com trechos das óperas Salvador Rosa, Maria Tudor, Joanna de Flandres, Lo Schiavo, Fosca e Il Guarany.

“Carlos Gomes é muito interpretado na Europa, mas nos Estados Unidos é bem mais raro, o país é muito seletivo. Por isso acho importante divulgar esse concerto, para que os brasileiros saibam que, até hoje, o compositor é lembrado e homenageado no mundo todo”, afirma Denise Maricato, sobrinha-trineta do maestro e convidada especial para o concerto em Nova York.

“Me sinto muito honrada de participar desse concerto representando a família de Carlos Gomes. A direção da Opera Dolce, inclusive, vai fazer um evento no dia 12 de outubro em minha homenagem”, adianta Denise.

“No Brasil — e mesmo em Campinas — Carlos Gomes não recebe as homenagens que merece. O pessoal da Abal (Associação Brasileira Carlos Gomes de Artistas Líricos) se esforça, mas acho que falta um empenho maior do poder público em homenagear o compositor, um dos maiores nomes da cena operística da América Latina”, aponta Denise.

“Nós é que deveríamos fazer essas homenagens. Felizmente, no cenário internacional, o maestro recebe a devida atenção.”

Em Campinas, entidades culturais e Secretaria de Cultura se unem para realizar o Mês de Carlos Gomes, com uma série de atividades durante setembro, mês da morte do maestro.

A programação começou no último dia 1° e prossegue até outubro, com foco na música do maestro.

Nesta semana, por exemplo, livro sobre Campinas, recital pelos 140 anos da ópera Salvator Rosa e cantata integram as atividades.

Quem foi

Antônio Carlos Gomes nasceu em Campinas em 11 de julho de 1836 e morreu em 16 de setembro de 1896, em Belém (PA).

Foi o mais importante compositor de ópera brasileiro, com reconhecimento internacional.

Sua obra mais conhecida é O Guarani, baseada no livro homônimo de José de Alencar.

Escreveu nove óperas: A Noite do Castelo (Rio de Janeiro, 1861), Joanna de Flandres (Rio de Janeiro,1863), O Guarani (Milão, 1870), Fosca (Milão, 1873), Salvador Rosa (Gênova, 1874), Maria Tudor (Milão, 1879), O Escravo (Rio de Janeiro, 1889), Condor (Milão, 1891) e Colombo (Rio de Janeiro, 1892).

Incentivo

Uma iniciativa conjunta entre o Rotary Club Carlos Gomes e secretarias municipais de Educação e de Cultura resultou no Concurso Literário Mês de Carlos Gomes.

Em sua primeira edição, o concurso destina-se a alunos do quinto ano do ensino fundamental de escolas públicas municipais de Campinas.

As escolas inscritas participam de palestras musicadas semanais na sede do Rotary e depois os alunos desenvolvem uma redação abordando a vida ou a obra do compositor. As melhores redações serão premiadas.

PROGRAMAÇÃO

Quarta-feira (10), às 19h:

Lançamento do livro Campinas - 240 Anos de História, no Espaço Cultural CPFL (Rua Jorge Figueiredo Corrêa, 1.632, Chácara Primavera, fone: 3756-8000)

Sexta-feira (12), às 20h:

Recital sobre os 140 anos da ópera Salvador Rosa, com solistas de São Paulo, no Centro de Ciências, Letras e Artes (Rua Bernardino de Campos, 989, Centro, 3231-2567)

Sábado (13):

11h — Apresentação da Orquestra Experimental do Conservatório Carlos Gomes (CCG), no CCG (Rua Hermas Braga, 841, Nova Campinas, fone: 3253-0375)

12h15 — Missa a Carlos Gomes, com Madrigal Decasom, com regência de Niza de Castro Tank, na Igreja Santa Rita de Cássia (Av. Jesuino Marcondes Machado, 670, Nova Campinas, fone: 3252-2261)

19h — Cantata nas sacadas do Jockey Clube (Praça Antônio Pompeu, 39, Centro, fone: 3231-2181)

Domingo (14), às 10h:

Homenagem no Monumento-Túmulo de Carlos Gomes na Praça Bento Quirino (entre as ruas Benjamin Constant e Thomaz Alves, Centro)

Escrito por:

Delma Medeiros