Publicado 07 de Setembro de 2014 - 5h00

Vai que cola: O programa terá maratona neste domingo (7) às 19h, com os episódios da semana

Divulgação

Vai que cola: O programa terá maratona neste domingo (7) às 19h, com os episódios da semana

O programa de maior audiência da TV fechada brasileira está de volta. E saiba que não se trata de nenhum reality show ou série premiada norte-americana. Mas um sitcom nacional que investe no humor pastelão e no formato de teatro televisivo tal qual Sai de Baixo. Vai Que Cola, do Multishow, deu tão certo, cativou o público de tal forma, que o retorno do humorístico à grade mobilizou o canal na tentativa de oferecer algo diferente e correspondesse à enorme expectativa da audiência. E conseguiu. Ou melhor, colou. A segunda temporada teve início nessa segunda-feira com um programa especial ao vivo, com direito a plateia estrelada e um pré-show mostrando os bastidores da atração — também ao vivo — apresentado por Didi Wagner e Dani Monteiro. A Serí(e)ssima estava lá, na HSBC Arena, no Rio de Janeiro, para acompanhar a grande noite a convite do Multishow.

 

“É o meu primeiro ao vivo na vida, então o frio na barriga é constante. É igual a uma estreia de teatro só que para milhões de pessoas. Ou pelo menos é assim que eu me sinto”, confessou João Fonseca, que divide a direção da série com César Rodrigues, minutos antes da estreia. “A gente trabalhou bastante, muito mais do que qualquer outra vez. Normalmente a gente ensaia em um dia e grava no outro. Dessa vez a gente teve uma semana para se preparar, até porque o segredo de tudo é trabalho. Claro que é circo, é teatro, é ao vivo, e sabemos que tudo pode acontecer. Mas tentamos nos preparar para todas as possibilidades de erro”, explicou.

 

Mais uma vez, objetivo alcançado. Apenas Paulo Gustavo, a grande estrela do sitcom, se mostrou nervoso durante a transmissão, chegando a esquecer o texto e a marcação diversas vezes, mas não ao ponto de comprometer o programa. Ao contrário, erros, na maioria das vezes, deixam tudo ainda mais engraçado. Paulo, aliás, foi o único do elenco que circulou pela área de convidados antes da apresentação, cumprimentando amigos e parentes, como a mãe, Dona Déa. Ficou cerca de 10 minutos, tirou algumas fotos, e voltou para a camarim.

 

O primeiro capítulo da comédia aconteceu com uma passagem de um ano na história dos personagens que integram a pensão de Dona Jô (Catarina Abdalla). Portanto, apenas o elenco original participou da estreia — formado ainda por Samantha Schmütz, Cacau Protásio, Marcus Majella, Fiorella Mattheis, Catarina Abdalla, Emiliano D’Avila e Fernando Caruso. A exceção foi a participação surpresa de Compadre Washington, que deu às caras no final apenas para falar sua famosa frase “sabe de nada, inocente”.

 

Fiorella e Emiliano continuam deixando a desejar e algo precisa ser feito com urgência, pois eles destoam dos demais comediantes, que são realmente bons, de maneira gritante. Por outro lado, a desenvoltura de Marcus Majella é contagiante e ele, sem dúvida, foi o destaque do programa — dois pontos altos: a troca de cenário ao som de Crazy in Love, da Beyoncé, e ele chamando Paulo Gustavo de homossexual, uma referência a polêmica gerada após o ator declarar para Marília Gabriela que não levanta a bandeira dos gays porque isso gera preconceito. Cacau também se saiu bem e teve ótimos momentos apesar do personagem exageradamente escrachado. E Fernando Caruso, como sempre, estava hilário. Ele e Catarina eram o mais focados no palco e, muitas vezes, salvaram os colegas.

 

Apesar das comparações de Vai Que Cola com Sai de Baixo, a qualidade apresentada pelo programa na 1ª temporada foi infinitamente inferior ao programa global comandado por Miguel Falabella, com um roteiro viciado e sem graça. O sucesso, porém, fez com que a atenção dada à produção fosse maior e o episódio de estreia mostrou uma evolução muito grande, conseguindo, finalmente, achar o tom.

Por exemplo: na estreia, o sitcom do Multishow, que pertence à Globosat, tirou sarro várias vezes com o maior tabu da organização, a Record. Já no começo, Caruso, para provar que o programa era ao vivo, disse: “Vou falar uma coisa que jamais poderia se dita. Se fosse gravado, iriam editar. Estão preparados: Record”, gritou, levando a plateia ao delírio. Em outro momento, Jéssica (Samantha Schmutz) fala que o Máicol (Emiliano) precisa fazer tudo o que o Lacraia (Silvio Guindane, que deixou o elenco para fazer uma novela na emissora concorrente) até as coisas ruim. E ele responde: “Até ir para a Record?”.

 

Portanto, mesmo se você achou uma grande bobagem a primeira temporada, arrisque mais uma vez. O novo ano será exibido de segunda a sexta, às 22h30. E se você perdeu a estreia, há uma maratona hoje, a partir das 19h, com os episódios da semana. Tatá Werneck, Julia Rabello e Marcelo Médici também estão no elenco da segunda temporada provando, mais uma vez, a evolução da atração. Não dá para saber.