Publicado 09 de Setembro de 2014 - 12h24

ig-transferetti

AAN

ig-transferetti

Recentemente a Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil lançou uma cartilha intitulada: Eleições 2014: seu voto tem consequências: um novo mundo, uma nova sociedade.

 

Essa cartilha foi assinada pelo bispo auxiliar de Belo Horizonte Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães, reitor da Universidade Católica de Minas Gerais e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Cultura e Educação da CNBB.

Trata-se de um documento norteador para os cristãos que desejam orientações práticas e concretas sobre as importantes eleições de 2014.

A educação para a cidadania exige pessoas bem formadas com capacidade para o discernimento crítico num momento muito especial para o País.

 

A necessidade de uma reforma política é reforçada neste documento, bem como a luta pela reforma agrária, o combate constante contra a corrupção, o sonho de uma educação cada vez melhor.

 

Infelizmente no Brasil atual as práticas de corrupção continuam golpeando as instituições, veja o caso recente da Petrobras.

A questão do Ensino Médio, a situação sempre precária na área da saúde, o trabalho escravo, a ausência de uma reforma agrária consistente, a violência urbana e tantos outros desafios compõem o cenário político atual.

 

No dia cinco de outubro, não pense duas vezes e vote consciente naqueles candidatos e candidatas que já se consolidaram como efetivos lutadores da pátria ou renove escolhendo os melhores.

 

Aqueles que querem se perpetuar no poder pelo poder e são capazes de fazer tudo para continuarem com seus benefícios deveriam ser analisados com muito carinho pelo eleitor.

O estudo atento de cada candidato, o acompanhamento concreto de suas ações é vivamente recomendado pelo documento em questão.

 

O cristão não pode em hipótese alguma se ausentar da ação política, seu voto tem consequências, pode mudar o País ou manter o mesmo estado de corrupção tantas vezes denunciado pelos órgãos competentes. A ação política é a mais alta expressão da caridade cristã, segundo, Paulo VI.

Por meio do voto, escolhemos as pessoas que irão administrar os recursos públicos nos próximos quatro anos. Trata-se de um momento muito particular, não podemos nos omitir, votar branco ou nulo.

 

O nosso voto neste ambiente democrático é fundamental. É a melhor maneira de demonstrar “amor ao próximo”.

 

Partidos ou pessoas envolvidas em denúncias de corrupção devem ser analisados com um rigor redobrado pois poderemos estar contribuindo para manter no poder pessoas e grupos políticos que tem prejudicados o povo brasileiro. O Brasil enfrenta muitos desafios.

 

O documento da CNBB faz referência a uma nova sociedade e a um novo mundo. Sabemos que não é possível construir um novo Brasil mantendo a chamada “velha política” caracterizada pela corrupção em todos os níveis.

 

A CNBB pede renovação constante e entende o poder como serviço a população e não um negócio entre amigos.

Portanto, meu amigo, minha amiga, pense bem, analise com carinho cada candidato que aparece sorrindo e fazendo promessas. Saiba discernir e escolha o melhor para o povo brasileiro!