Publicado 08 de Setembro de 2014 - 10h23

Pedro Carlos de Carvalho, professor de pós-graduação da Faculdade Anhanguera de Indaituba

AAN

Pedro Carlos de Carvalho, professor de pós-graduação da Faculdade Anhanguera de Indaituba

Empreendedorismo é uma tradução simples e direta da palavra da língua inglesa entrepreneurship e significa, de acordo com o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, qualidade ou caráter do que é empreendedor e também atitude de quem, por iniciativa própria, realiza ações ou idealiza novos métodos com o objetivo de desenvolver serviços, produtos ou quaisquer atividades de organização e administração.

 

A história destaca Marco Polo (1254 a 1324), mercador, embaixador e explorador natural da República de Veneza, na Idade Média, que, acompanhado de seu pai, Nicolau Polo e do tio Matteo, foi um dos primeiros ocidentais a seguir a Rota da Seda, em direção à China. Por seu caráter aventureiro e explorador, Marco Polo pode ser considerado o primeiro símbolo do empreendedorismo.

 

Os movimentos globalizados, iniciados no final do século XX, passaram a exigir muito mais das instituições governamentais, empresas e empregados, em decorrência do aumento da competitividade e da necessária melhoria dos indicadores de produtividade e qualidade. O momento atual pode ser denominado de “Era do Empreendedorismo”, pois são os empreendedores que estabelecem novas perspectivas comerciais e culturais, encurtam distâncias, globalizam e reformulam conceitos econômicos, quebram paradigmas vigentes e geram riqueza para a sociedade.

 

Dentro desse contexto, o empreendedorismo se fez notar, impulsionando muitos profissionais a buscarem novas opções e oportunidades para suas carreiras. O termo “ser empreendedor” cresceu significativamente no Brasil tanto por intermédio de ações voltadas à abertura de um negócio próprio, como lojas, consultorias, etc., como também com relação ao próprio perfil dos profissionais, provocando alterações comportamentais e de atitude no ambiente corporativo.

 

Para se tornar um empreendedor é necessário que o profissional apresente algumas habilidades técnicas, gerenciais e características pessoais específicas. Como habilidades técnicas podemos citar: saber escrever, ouvir e captar informações; ser organizado, liderar e trabalhar em equipe e possuir conhecimento na área de atuação. Quanto às habilidades gerenciais, o empreendedor precisa saber criar, desenvolver e gerenciar empresas, conhecer os princípios essenciais de marketing, administração, finanças, logística e processos produtivos, além de tomada de decisão e de técnicas de negociação. Em relação às características pessoais, é importante que o empreendedor tenha disciplina, capacidade para assumir riscos, inovação e persistência, orientação para mudanças e seja um líder estratégico.

 

As empresas também têm, cada vez mais, buscado profissionais com perfil empreendedor, valorizando características como motivação, espírito de equipe, relacionamento interpessoal, habilidade de comunicação, flexibilidade e proatividade em seus trabalhos.

 

O profissional deve permanecer atento aos desafios que o mercado e a sua própria empresa impõem, buscando, atualizando e aprimorando seus conhecimentos e habilidades necessárias para o sucesso em suas atividades empreendedoras.

 

Pedro Carlos de Carvalho é professor da pós-graduação da Faculdade Anhanguera de Indaituba