Publicado 09 de Setembro de 2014 - 11h52

Jovem que se recusa a ceder o lugar à passageira mais velha e a xinga

Reprodução/ YouTube

Jovem que se recusa a ceder o lugar à passageira mais velha e a xinga

Cenas gravadas por um passageiro em um ônibus intermunicipal de São Vicente, no Litoral Norte de São Paulo, mostram uma idosa sendo ofendida e até empurrada por conta de uma discussão sobre o assento preferencial para maiores de 60 anos.

O vídeo está causando revolta nas redes sociais. Nele uma jovem que se recusa a ceder o lugar à passageira mais velha e a chama de ‘velha nojenta’.

 

 

O socorrista Rildo Ramos, que registrou a briga e postou na internet, conta que entrou na linha 21, no Centro de São Vicente, por volta das 16h30 da última sexta-feira (5). Durante o percurso, ele testemunhou a discussão, que classificou como “lamentável” e, por isso, resolveu filmar com o celular.

Nas imagens é possível ouvir a agressora afirmando que não iria ceder o assento à idosa. “Se eu estou sentada aqui eu tenho um motivo. Não vou me levantar”, disse.

Na sequência, a idosa disse que a moça era tão inteligente que não sabia ler, já que estava sentada onde não deveria e que não respeitava uma pessoa com mais idade. A mulher mandou a idosa calar a boca. Em seguida, xingou a idosa de “velha nojenta”, “mal criada” e outros palavrões. Disse que poderia “ferrar” com ela.

A passageira que continuava em pé a chamou de sem vergonha e disse que ela tinha “boca de privada”.

Revoltada, a passageira que se recusava a ceder o assento ainda ameaçou a idosa. “A senhora vai pagar. Engole o banco. Mal criada é a senhora. Engole o banco, velha nojenta”, falou.

 

Antes de descer do coletivo, a agressora empurrou a idosa, que rebateu a agressão. “Não me empurra que eu te meto a mão. Não vem com a sua velhice querer abusar”, disse ela ao sair.

Ministério Público

O Estatuto do Idoso determina que as empresas detentoras do transporte público municipal reservem duas vagas gratuitas às pessoas com 60 anos ou mais.

Com a repercussão do caso nas redes sociais, as imagens foram enviadas para a Promotoria de Justiça Criminal de São Vicente e o Ministério Público do Estado de São Paulo irá analisar o vídeo. Depois o material deverá ser encaminhados para a Delegacia do Idoso, para que um inquérito policial seja instaurado.

Além disso, a própria idosa tem seis meses para registrar a queixa a partir do reconhecimento da agressora e o inquérito policial pode acarretar uma pena de 1 a 3 anos de cadeia pela injúria qualificada.

Empresa

A Viação Piracicabana, responsável pela Linha 21, informou que os veículos contam com assentos reservados e devidamente identificados por cor e modelo de fábrica para idosos, gestantes, pessoas com crianças de colo e portadores de deficiência física, conforme a resolução STM N° 403 de 29 de dezembro de 1994.

A empresa disse ainda que os motoristas são treinados e orientados para intervir em situações como essa, esclarecendo aos passageiros que o idoso, bem como as demais pessoas citadas na resolução, têm direito ao assento reservado. Porém, neste caso específico, o motorista não percebeu o fato, que teria acontecido depois da porta do meio do ônibus.