Publicado 05 de Setembro de 2014 - 15h52

Por Agência Estado

Os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013 já podem acessar o espelho da correção das redações

Milton Michida/Governo do Estado de São Paulo

Os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013 já podem acessar o espelho da correção das redações

As redes de Ensino Municipal e Estadual de Campinas não conseguiram alcançar as metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nos anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano), previstas para o ano de 2013. Segundo os dados divulgados nesta sexta-feira (5), a rede estadual atingiu 4,5 pontos, quando a meta esperada eram 5,0 pontos. Já a nota alcançada pela rede municipal foi 4,2 e a meta prevista para o ano passado era 4,7. A média geral da rede pública foi 4,4 em 2013 e a meta projetada era 5,0.

Nos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano), a rede municipal se destacou e superando a meta esperada para o ano. A rede alcançou 5,6 pontos quando a expectativa era 5,5. A rede estadual, por outro lado, atingiu nota 5,6. A meta para o período eram 6,0 pontos. A média geral dos anos iniciais da rede pública foi de 5,7 pontos, quando o projetado eram 6,0 pontos. As notas do Ensino Médio por município não foram divulgadas, porque, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o levantamento é feito por amostragem.

Para consultar as notas das escolas de Campinas, acesse o link: http://ideb.inep.gov.br/

 

Brasil

 

O nível do ensino médio, considerado um dos principais gargalos do País, recuou em São Paulo e outras 15 redes estaduais, de acordo com os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2013 obtidos pela reportagem. Os dados completos ainda serão divulgados na tarde desta sexta-feira (5) pelo Ministério da Educação.

O indicador, divulgado a cada dois anos, mede a qualidade da educação básica no Brasil com dados de aprovação e resultados em provas de português e matemática. A nota vai em uma escala de zero a dez e 6 é o nível considerado de países desenvolvidos, segundo o governo federal.

Goiás foi a rede com maior nota: 3.8 pontos, com melhora de 0,2 pontos em relação à edição anterior. São Paulo aparece em segundo lugar, com 3,7 pontos, mas houve piora em relação a 2011 - quando a nota foi de 3,9. Além da rede paulista, pioraram Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Ceará, Roraima, Tocantins, Amazonas, Amapá, Maranhão, Sergipe, Bahia, Pará, Rio Grande do Norte e Mato Grosso.

Entre os que melhoraram, além de Goiás, estão Pernambuco, Rio de Janeiro, Rondônia, Espírito Santo, Distrito Federal, Piauí e Paraíba. Dois Estados ficaram estagnados - Acre e Alagoas (3,3 e 2,6 pontos, respectivamente).

Para a consultora e mestre em educação pela PUC-RJ, Ilona Becskeházy, apesar de São Paulo ter caído 0,2 pontos no ensino médio, trata-se da melhor rede estadual em seu conjunto. "Tem a melhor matrícula líquida (93,7 em 2012) no ensino fundamental e no ensino médio é a mais alta do Brasil (69.6). A rede coloca todos para dentro". Segundo a especialista, isto se deveu à política de correção de fluxo que ocorre desde 1996 e resulta em menor distorção idade-série em todas as séries. "Melhor do que quem tem média maior e não fez nada disso".

Escrito por:

Agência Estado