Publicado 08 de Setembro de 2014 - 10h10

Por France Presse

Médicos tchecos receiam que os pais de Ashya King, que a tiraram sem autorização de um hospital britânico, criem dificuldades se o paciente precisar de transfusão de sangue

MICHAL CIZEK/ AFP

Médicos tchecos receiam que os pais de Ashya King, que a tiraram sem autorização de um hospital britânico, criem dificuldades se o paciente precisar de transfusão de sangue

O menino britânico Ashya King, que possui um tumor cerebral, chegou nesta segunda-feira (8) a Praga para ser tratado, mas os médicos tchecos receiam que os pais da criança, que a tiraram sem autorização de um hospital britânico, criem dificuldades se o paciente precisar de transfusão de sangue.

O diretor do hospital de Praga onde Ashya será atendido comentou sua preocupação em relação a esta possibilidade.

"A situação não é habitual, talvez haja questões por resolver", afirmou o dr. Miloslav Ludvik, do Hospital Motol de Praga.

"Seus pais são testemunhas de Jeová, mas nós não podemos excluir a utilização de derivados sanguíneos durante o tratamento", explicou.

"Nossa experiência é que, com essa confissão religiosa, podem surgir problemas. O tratamento depende da assinatura de um consentimento. Os pais serão informados desta possibilidade, mas caso se neguem, não poderemos hospitalizar o menino", acrescentou.

Depois de sua passagem pelo Hospital Motol, Ashya será internado esta semana no Proton Therapy Center (PTC), também em Praga, para uma terapia com prótons.

O menino chegou a Praga a bordo de um jato particular fretado pela família procedente de Málaga (sul da Espanha).

Veja também

Escrito por:

France Presse