Publicado 06 de Setembro de 2014 - 14h18

Por Manuel

Sagu ou pérola?

Manuel

Sagu ou pérola?

Definitivamente, há algo de muito errado em alguns preços praticados no Brasil, notadamente no setor alimentício. Ontem, passei por um supermercado para comprar sagu, que usaria para preparar uma sobremesa para um jantar entre amigos. Como fazia muito tempo que não comprava o ingrediente, fui com a expectativa de que gastaria algo em torno de R$ 3,00 pelo pacote de 500 gramas das bolinhas feitas com amido de mandioca. Para minha surpresa, o valor cobrado era abissalmente superior àquele que eu havia previsto: R$ 8,55!

Surpreso com o preço absurdo, resolvi deixar o sagu na gondola e parti para outro supermercado, considerado mais popular que o anterior. Pensei: na outra loja, certamente encontrarei algo na faixa dos R$ 4,00. Que nada. No concorrente, o pacote de 500 gramas de sagu, da mesma marca, saía por R$, 7,29. Mais barato, mas ainda assim caríssimo. Por curiosidade, comparei o preço do sagu com o do feijão, cujo quilo estava sendo vendido a R$ 3,55.

Ou seja, no Brasil do agronegócio, o quilo do sagu custa entre R$ 14,58 e R$ 17,10, enquanto o do feijão custa entre três e quatro vezes menos! Lembrando mais uma vez que as tais bolinhas de sagu são feitas com o prosaico amido de mandioca. Embora elas pareçam pequeninas pérolas depois de cozidas, não deveriam ser cobradas como tal, né não?

Escrito por:

Manuel