Publicado 01 de Agosto de 2014 - 21h31

Por Da Agência Anhanguera de Notícias

O mosquito Aedes aegypti transmite a dengue e a febre chikungunya

Divulgação

O mosquito Aedes aegypti transmite a dengue e a febre chikungunya

O Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) da Secretaria de Saúde de Campinas (SP) confirmou nesta sexta-feira (1º) a nona morte por dengue na cidade. A vítima foi uma mulher de 68 anos, moradora da região Sudoeste, que morreu em junho. Na região, o total de óbitos subiu para 15 casos. Os óbitos foram registrados em cinco municípios: Campinas (9), Sumaré (3), Indaiatuba (1), Americana (1), Santa Bárbara d´Oeste (1).

 

No mês passado, a Prefeitura de Campinas já tinha confirmado outras duas mortes pela doença. Uma ocorrida em maio, de uma mulher de 45 anos, também moradora na região Sudoeste, e um homem de 80 anos, da região Norte, que morreu em 13 de junho. Outros cinco óbitos continuam sob investigação. 

A Secretaria também atualizou o número de infectados no mês de julho. Confirmando as expectativas de queda, entre os dias 1º e 30 de julho a cidade contabilizou mais 54 casos da doença.

 

Menor número

 

O número é o menor registrado em um mês inteiro desde janeiro. Abril foi o mês que registrou o pico da epidemia em Campinas, com 19.886 casos. Em maio foram 10.195 confirmações. Historicamente, é o mês em que o número de pessoas infectadas começa a cair, devido ao frio que diminui o ciclo de alimentação do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti, o que não aconteceu.

 

Em junho, outros 1.262 registros foram confirmados. Com a atualização do mês de julho, Campinas contabiliza agora 40,7 mil casos. A última epidemia de dengue na cidade foi registrada em 2007. Naquele ano, 11,4 pessoas foram infectadas.

Veja também

Escrito por:

Da Agência Anhanguera de Notícias