Publicado 26 de Junho de 2014 - 17h42

Por Yasmine Souza

Pitbull é uma raça conhecida por diversos ataques a pessoas

Divulgação

Pitbull é uma raça conhecida por diversos ataques a pessoas

Um menino de 6 anos e a mãe foram atacados por dois cães da raça pit bull no Jardim Santa Terezinha, em Campinas.

 

O ataque aconteceu na tarde de quarta-feira (25) e segundo testemunhas, os animais são da própria família e mordeu as vítimas no quintal da casa.

 

A criança sofreu ferimentos no crânio e face. Na madrugada desta quinta-feira (26) passou por uma cirurgia plástica no Hospital Celso Pierro, da PUC-Campinas.

 

Ele passa bem e deve receber alta neste sábado (28). A mãe também continua internada no Hospital Ouro Verde com quadro estável.

 

Segundo a Polícia Militar, o ataque ocorreu por volta das 18h. Seis viaturas da corporação e outras três do Corpo de Bombeiros foram ao local para atender a ocorrência.

 

O tio da criança, Isac Michel da Cruz, de 25 anos, contou que o sobrinho brincava no quintal quando Tor, uma mistura das raças pit bull e labrador, atacou sem motivos a criança.

 

"Ele estava brincando e de repente o Tor começou a morder ele. Ele correu para dentro de casa e a fêmea foi atrás e mordeu minha irmã", relatou o conferente.

 

Pessoas que passavam na rua ouviram os gritos e quebraram o cadeado. "Com um monte de gente em volta a fêmea soltou minha irmã, e o macho foi pra cima dela", Isac.

 

O socorro chegou rápido, junto das viaturas da PM. Um policial militar precisou atirar em Tor para livrar a jovem de 27 anos das mordidas.

 

A criança foi levada pela polícia ao Hospital Ouro Verde e, segundo a assessoria da unidade, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) fez a transferência da vítima para o Hospital da PUC.

 

Ela chegou em estado grave, mas com um quadro estável. Segundo informações da assessoria, o garoto foi encaminhado diretamente para a sala cirúrgica, e passou por procedimento de plástica no olho, bochecha e no crânio.

 

A mãe precisou fazer preenchimento de pele no braço, na perna e em um dos mamilos.

 

Na tarde desta quinta-feira o garoto já estava na enfermaria. Segundo Isac, os cachorros eram bem tratados e estavam com todas as vacinas em dia.

 

"O Tor tinha seis anos, a idade do meu sobrinho. Cresceram juntos e era super dócil", disse o dono do animal. A fêmea e um filhote de um ano foram levados para o Centro de Zoonose de Campinas, que também verifica se os animais estão com raiva.

Entretanto, o cachorro executado pela PM já tinha dois boletins de ocorrência por causa de suas ações. Em uma delas, matou o cachorro de uma vizinha, que andava na rua. "Estou procurando pessoas que queiram adotar mãe e filhote", finalizou o conferente.

Escrito por:

Yasmine Souza