Publicado 02 de Maio de 2014 - 21h21

Por Carlos Rodrigues

O técnico Evaristo Piza cobra dos jogadores reação imediata na Série C do Campeonato Brasileiro

Leandro Ferreira/AAN

O técnico Evaristo Piza cobra dos jogadores reação imediata na Série C do Campeonato Brasileiro

Disposto a não se complicar logo no início da Série C do Campeonato Brasileiro, o Guarani sabe que a reação precisa ser imediata e obtida neste sábado (3), no jogo contra o Madureira, às 21h, no Estádio Décio Vitta, em confronto válido pela segunda rodada do Grupo B. Derrotado na estreia diante do São Caetano, o Bugre também busca encerrar o incômodo jejum de onze jogos sem conquistar um resultado positivo — o último triunfo foi no dia 1º de março, sobre o União Barbarense, pela Série A2. Já os cariocas vêm de vitória e tentam manter os 100%.

Começa, neste sábado, a série de três jogos que o alviverde fará na condição de mandante em Americana antes de retornar ao Brinco de Ouro. Mesmo sem estar em sua casa oficial, o Bugre tem a obrigação de ir bem e o técnico Evaristo Piza sabe disso. "Precisamos ter iniciativa e a proposta do jogo. Temos que nos conscientizar que, em casa, é necessário volume de jogo para nossa torcida vir junto", avisa o treinador bugrino. "É importantíssima a reabilitação. Precisamos conseguir os resultados para termos fôlego para trabalhar com tranquilidade", completa.

As contas já estão na ponta da língua dos jogadores e da comissão técnica. A cada 12 pontos disputados, a meta é conseguir 7. Como o time perdeu os primeiros três, a missão é atingir o objetivo nos jogos que faltam nesse período. "São duas partidas seguidas em casa — na semana que vem, o Bugre recebe o Macaé — e temos que pensar passo a passo. O campeonato é difícil, mas o Evaristo nos deu bastante confiança. Temos que acreditar e ganhar esses jogos", destaca o volante Samuel.

Neste sábado, a expectativa é de uma postura diferente do time em relação à demonstrada contra o São Caetano. O ponto a se melhorar detectado por Evaristo Piza foi a timidez da equipe. Durante os treinamentos da semana, o treinador pediu mais audácia e coragem para arriscar as jogadas. "É um time competitivo, aguerrido, mas que foi tímido. E essa timidez compromete muito a individualidade e a tomada de decisão deles", explica Piza.

Uma das armas para combater a timidez é o retorno do experiente meia Fumagalli, recuperado de um problema muscular e novidade na equipe no lugar do atacante Leleco. Com ele no time e sem o peso da estreia, a tendência é que o Guarani esteja mais solto em campo.

Escrito por:

Carlos Rodrigues