Publicado 03 de Maio de 2014 - 5h30

A balança comercial brasileira teve superávit comercial de US$ 506 milhões em abril, ensaiando uma recuperação para 2014. O resultado foi melhor que o esperado por grande parte dos analistas de mercado, mas o déficit deste ano ainda é alto: US$ 5,56 bilhões de janeiro a abril. Foi a primeira vez que o acumulado do ano foi melhor que no mesmo período de 2013. Nos quatro meses iniciais de 2013, o saldo comercial estava negativo em US$ 6,14 bilhões, o pior desempenho da balança comercial brasileira para o período.O governo conta com a redução do déficit da chamada conta-petróleo para obter neste ano um saldo mais robusto que os US$ 2,6 bilhões de 2013. Isso porque o efeito das exportações agrícolas é maior no primeiro semestre. A partir de maio, começa a entressafra. Nos últimos 12 meses, a balança tem superávit de US$ 3,13 bilhões.O superávit de abril foi puxado por um crescimento mais forte das exportações, de 5,2% em relação a abril do ano passado pelo conceito de média diária. Um aumento “expressivo”, na avaliação do secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Daniel Godinho. A recuperação se deve, principalmente, a um aumento de 75,6% nas vendas externas de petróleo e de 19,8% de soja. No caso do grão, as exportações em volume foram recordes ao totalizarem 8,3 milhões de toneladas em abril.Houve também uma melhora na conta-petróleo, que no ano passado teve déficit de US$ 20 bilhões. As importações caíram 2,2% no mês passado em relação a abril de 2013. As exportações somaram US$ 19,72 bilhões e as importações totalizaram US$ 19,22 bilhões“Tais números, ainda que modestos, indicam tendência favorável de recuperação ao longo deste ano, o que deve levar a um saldo comercial marginalmente melhor que o do ano anterior, mas ainda distante dos resultados mais robustos que se viam até 2012”, avaliou Bruno Lavieri, da Tendências Consultoria. A balança teve a ajuda forte dos embarques de produtos agrícolas neste início do ano e uma redução do déficit da conta-petróleo. De janeiro a abril, o resultado negativo da balança de petróleo e derivados foi US$ 2,5 bilhões menor que no mesmo período de 2013. Mas o saldo ainda ficou negativo em US$ 6,059 bilhões no primeiro quadrimestre. As exportações cresceram 9,1% no período e as importações de petróleo e derivados caíram 12,1%. “Todos os fatores nos levam a crer no aumento das exportações, com a safra compensando a queda de preços das commodities e com a recuperação de alguns mercados, como o dos Estados Unidos”, afirmou o secretário. “Continuamos esperando um superávit comercial em 2014”, completou Godinho. (Da Agência Estado)