Publicado 02 de Maio de 2014 - 5h30

A Copa do Mundo do Brasil estará no foco dos órgãos de defesa do consumidor em São Paulo. A Fundação Procon do Estado vai lançar um hotsite que receberá imediatamente as reclamações dos consumidores.

O sistema será interligado aos Procons municipais. Em Campinas, o órgão irá colocar fiscais no Aeroporto Internacional de Viracopos e no terminal rodoviário, e as unidades móveis do Procon passarão pelos dois locais.

Uma novidade é que as empresas terão no máximo 48 horas para dar uma resposta e resolver o problema do reclamante. A medida visa acelerar os processos para atender, principalmente, os viajantes que estarão em trânsito pelo Estado.

Os órgãos estão firmando parcerias com empresas para garantir que as demandas sejam solucionadas com rapidez. A Fundação Procon vai gerenciar a entrada de demandas por meio de seu hotsite. Os Procons também irão distribuir em pontos estratégicos da cidade guias e panfletos com os direitos dos consumidores em inglês e espanhol.

Neste ano, o Procon Campinas recebeu 13.851 reclamações no primeiro trimestre do ano. A diretora do órgão, Lúcia Helena Magalhães, afirmou que o trabalho conjunto entre as entidades de defesa do consumidor será importante para que os direitos sejam garantidos.

“As unidades móveis vão atender no aeroporto e na rodoviário. A expectativa é que as queixas se concentrem em alimentação, hospedagem, e transporte, entre outros”, comentou.

Lúcia Helena ressaltou que o sistema utilizado para o atendimento ao consumidor vai facilitar a vida de quem tiver alguma reclamação a fazer durante a Copa.

“A maioria dos turistas é brasileira, mas muitas pessoas estarão em trânsito e precisam de agilidade caso tenham problemas que envolvam seus direitos”, afirmou a diretora. Ela salientou que o Procon também fará operações de fiscalização no período do Mundial.

Lúcia Helena explicou que os consumidores serão informados sobre as medidas adotadas para resolver as queixas por e-mail e outros meios eletrônicos. “O objetivo é facilitar a vida dos consumidores. O prazo para a solução dos problemas relatados por eles será de 48 horas. A Fundação Procon está firmando acordos com as empresas para que elas agilizem as respostas”, disse.

Para ela, é relevante que os órgãos de direito do consumidor atuem fortemente durante o período da Copa para coibir violações.