Publicado 02 de Maio de 2014 - 5h30

A correção da tabela do Imposto de Renda anunciada pela presidente Dilma Rousseff foi criticada por entidades de classe. Para o presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), Cláudio Damasceno, a correção de 4,5% agrava uma defasagem que atualmente está em 61,42%. Para ele, quando se corrige a tabela abaixo da inflação oficial, todos são prejudicados. “A presidente disse que estes 4,5% vão significar um importante ganho salarial indireto. Mas como o trabalhador ganha alguma coisa pagando aquilo que não deveria pagar?”, criticou ele. (Agência Estado)