Publicado 01 de Maio de 2014 - 5h31

O fraco desempenho da economia americana no primeiro trimestre divulgado ontem não influenciou a decisão já esperada do Fed (banco central dos EUA) de cortar mais US$ 10 bilhões de seu pacote de estímulos. Com o anúncio, feito ao fim de dois dias de encontro do comitê de política monetária do banco, a injeção mensal cai de US$ 55 bilhões para US$ 45 bilhões. Entre dezembro de 2012 e dezembro de 2013 - quando foi anunciada a primeira redução - o reforço, via compra de títulos, era de US$ 85 bilhões mensais. Neste ritmo, a expectativa é que o Fed acabe de vez com o programa em dezembro. Mesmo com o PIB tendo avançado a uma taxa de apenas 0,1% nos três primeiros meses do ano, o Fed parece estar convencido de que a estagnação da economia no início de 2014 foi circunstancial, por causa do inverno rigoroso, que atrapalhou o setor de construção, afastou os consumidores das lojas e aumentou os gastos de empresas. “O crescimento da atividade econômica se acelerou recentemente, depois de uma diminuição drástica durante o inverno”, diz o texto do comitê. (Folhapress)