Publicado 01 de Maio de 2014 - 5h30

Um caso de violência doméstica envolvendo um garoto de três anos comoveu os agentes da Guarda Municipal (GM) de Campinas que, depois de atenderem a ocorrência, no último sábado, no bairro San Martin, se reuniram para arrecadar agasalhos e comprar uma cama para o menino. Com as doações, os guardas do Grupo de Apoio Especial (GAE), que foram responsáveis pelo atendimento à vitima e detenção do padrasto da criança — suspeito de tê-lo agredido com socos e mordidas — visitaram ontem de manhã o garoto, que está sob os cuidados da avó materna em Sumaré. A mãe da criança, que estava internada há cerca de dez dias, com dengue, deve receber alta hoje e o padrasto segue preso em razão da violência. O menino, que ainda tem marcas da agressão pelo corpo, logo reconheceu os GMs que estiveram com ele no fim de semana. Sua avó, A.M.S.S., de 58 anos, agradeceu aos guardas por todo cuidado. “Está sendo muito difícil, mas ele tem encontrado boas pessoas para ajudar”, disse. “Além do atendimento e carinho dos guardas, ele também foi muito bem acolhido e cuidado no Hospital Mário Gatti, para onde foi levado no sábado.” Segundo a avó, o caso será acompanhado pela Delegacia de Defesa da Mulher e pelo Conselho Tutelar. (AAN)