Publicado 03 de Maio de 2014 - 5h30

Contrariando a estatística de que dezembro se tornou o mês preferido das noivas, os atletas do vôlei preferem o tradicional maio. A data, na verdade, é imposta pelo calendário nacional do vôlei. Termina a Superliga, começa a temporada dos casamentos. As atletas do extinto Vôlei Amil, Angélica e Rosane, e o central do Brasil Kirin, Gustavão, sobem ao altar neste mês. Luciane Escouto, do Barueri, também entrará para a lista das casadas.Em meio à reta final de Superliga, na qual o Vôlei Amil foi eliminado nas semifinais, a central Angélica e a levantadora Rosane ganharam um chá bar surpresa das companheiras de time, único momento relacionado ao enlace, pois o restante do tempo foi todo focado na competição. Angélica se casa hoje com Luis Claudio, técnico de basquete do Praia Clube, em Farropilha (RS), após cinco anos de namoro. Já Rosane sobe ao altar no dia 10 com Wendel, estatístico do extinto Vôlei Amil, em Uberlândia, depois de 10 meses de relação iniciada por mensagens de celular nas férias de 2013.As noivas têm estilos diferentes, mas mantiveram a mesma postura. "Nosso pensamento era de que o casamento não interferisse na temporada e vida de atleta é assim. Compromissos pessoais só após o campeonato", comentou Angélica, que há um ano planeja o tão esperado casamento, que acontecerá à noite na Igreja de sua cidade com festa na sequência. Já Rosane foi bem tranquila com os preparativos, delegando boa parte deles ao noivo. "Foi tudo muito rápido, não pensava em casar tão cedo, mas achamos que é o momento. A minha relação com o Wendel em quadra é como se não tivesse nada, somos muito discretos. Fechei tudo por telefone. A família dele cuidou de muita coisa, eu mesma, só do vestido que será branco tradicional", comentou a levantadora de 22 anos.Rosane e Wendel terão um casamento bucólico ao pôr do sol e seguirão para lua de mel em Buenos Aires. Angélica viajará para Porto de Galinhas (PE) e escolheu detalhes na festa que remetam ao esporte. "Meu topo de bolo será com a noiva de tênis e bola de vôlei, e o noivinho de terno, bermuda e bola de basquete", diverte-se. As atletas ainda não sabem por qual clube jogarão na próxima temporada, mas têm a certeza que serão vizinhas, ambas manterão suas bases na cidade de Uberlândia (MG). Sem lua de mel

O central do Vôlei Brasil Kirin Gustavão disse sim a Tainá, em São Paulo, ontem, e sem tempo para lua de mel. O meio de rede está com a Seleção Brasileira em Saquarema (RJ) e só terá folga para subir ao altar, depois retorna aos treinos. "Agora não terá lua mel. Só Deus sabe quando vou ter uma folguinha", comentou.

A FRASE

“Não deu tempo de ter tensão pré-casamento. O pensamento era só na Superliga.”