Publicado 02 de Maio de 2014 - 5h30

Só resta um brasileiro na Libertadores. Atual campeão, o Atlético Mineiro está eliminado da competição. Ontem, na partida da volta das oitavas de final, o time alvinegro empatou em 1 a 1 com o Atlético Nacional e fica fora da competição porque perdeu de 1 a 0 na Colômbia, na ida. Assim, só o arquirrival Cruzeiro está vivo.

A partida de ontem, no Independência, foi a primeira do trabalho de Levir Culpi, que substitui Paulo Autuori. O treinador havia estreado no fim de semana, mas ele mesmo admitiu que foi mero espectador no banco de reservas diante do Grêmio.

Ontem, tentou fazer o Atlético mostrar o bom futebol do ano passado, mas o time não converteu sua maior posse de bola em chances de gol. Victor chegou a salvar a equipe uma vez, mas acabou não conseguindo impedir o gol irregular, por impedimento, que levou o Atlético Nacional ao empate, aos 43’ do 2 tempo. Na próxima fase, os colombianos pegam o Defensor, do Uruguai.

Desde que a bola começou a rolar o time da casa mostrou que disposição não faltaria. Aos 19’, Jô saiu da área e fez a jogada pela direita, cruzando rasteiro para Tardelli. O atacante mandou na trave. A zaga colombiana tirou mal e deu para Fernandinho, que abriu espaço e bateu no canto esquerdo. O gol assustou o Atlético Nacional, que parecia ser presa fácil. Aos 33’, porém, o time colombiano achou uma ótima chance para empatar. Ninguém marcou Valencia, que pegou de primeira e chutou para longe.

Levir Culpi resolveu mexer no 2 tempo e colocou Guilherme (no lugar do cansado Tardelli) e Rever (na vaga de Pierre). No lance seguinte, aos 28’, Sherman recebeu no meio da zaga, saiu na cara de Victor e bateu bem. O goleiro, porém, fez bela defesa. Os pênaltis, porém, não agradavam ao Atlético Mineiro, que se abriu. E levou o gol num contra-ataque. Cardrona cruzou de trivela, da esquerda, Victor tentou sair de tapa, mas a bola sobrou para Duque marcar. (Da Agência Estado)

18

Diego Tardelli passou em branco nos 19 que disputou na

temporada até agora

Grêmio mantém técnico, apesar da desclassificação

A eliminação nas oitavas de final da Copa Libertadores pelo San Lorenzo foi a segunda grande decepção para os gremistas em um mês, após a perda do Campeonato Gaúcho para o Internacional. A pressão sobre o técnico Enderson Moreira só aumenta. Mesmo assim, o treinador está seguro no cargo. O presidente Fábio Koff participou ontem da reunião que ocorre sempre depois das partidas entre a comissão técnica e os jogadores e assegurou a continuidade de Moreira e de toda a comissão técnica.

Apesar de comparecer ao estádio ontem, Fábio Koff se negou a dar entrevistas, alegando que já havia afirmado que Enderson Moreira e o departamento de futebol continuarão realizando os seus trabalhos. O treinador também procurou passar tranquilidade após a reunião.

"Eu nunca me preparo para coisas que são 'normais' no futebol. Faço meu trabalho e vou fazer até o dia que a direção achar que é conveniente que eu não permaneça. A gente veio para um projeto para a equipe buscar novas alternativas dentro da realidade do clube. E é isso que sempre busquei fazer. A equipe vem jogando futebol de bom nível, extremamente competitiva", declarou.

Mas Enderson sabe que os resultado não foram os esperados e já mostra sinais de desânimo no comando da equipe. "O resultado às vezes não aparece, eu lamento muito e sinto muito mesmo. Minha dedicação sempre foi plena, total. Estou preparado para o que acontecer. Mas nunca vou sofrer por antecipação." (Das agências)