Publicado 04 de Maio de 2014 - 5h00

Cidade surpreendente é o título do bom vídeo de seis minutos, feito pelo Stúdio Eletrônico sobre Campinas, pago com o dinheiro do povo e assinado pela prefeitura. Diz lá:

 

Segundo a ONU, 600 cidades alavancarão 66% do crescimento econômico mundial; são as “cidades motores”; 400 estão em países emergentes e dez no Brasil; uma delas é a única “cidade motor” brasileira sem ser capital de Estado: Campinas, a cidade mais surpreendente do País.

 

Cruzada por cinco das principais rodovias brasileiras (todas eficientes depois de privatizadas), também tem o principal aeroporto de cargas do Brasil (privatizado) e o maior da América Latina. Ponto de partida para exportação a mais de 180 países, Viracopos foi eleito em 2013 o melhor do Brasil pelos passageiros.

 

Tem PIB de R$ 100 bilhões, entre os dez maiores do País, gerando anualmente R$ 40,5 bilhões (33% bens de capital, 48% bens intermediários). É o 4º centro financeiro do País; commodities foram 14% dos bens exportados pela cidade; produtos industrializados, quase todos da iniciativa particular, 86%. Terceiro parque industrial brasileiro; 60% das residências ligadas à Internet; figura entre os principais destinos de turismo de negócios – a 9ª que mais recebe eventos internacionais, seis mil por ano, promovidos pela iniciativa privada.

Completa rede hoteleira nas categorias turística, de luxo e hotéis-fazendas; tem 11 shopping centers, um deles considerado o maior da América Latina. Importante polo de ciência e tecnologia criado e mantido pelo Estado e pela União: 45 instituições de ensino superior, incluindo a Puccamp; 19% da população tem graduação completa. Responde por 15% da produção científica nacional, com maior número de depósitos de patentes do Brasil. Realiza mais de 400 eventos científicos e tecnológicos por ano.

 

O “Vale do Silício da América Latina” é um dos principais centros tecnológicos do mundo; mostra vocação para tecnologia de ponta, incluindo componentes eletrônicos, microeletrônica e software de suporte 3 D, para agricultura, indústria e medicina. Desenvolve tecnologia de informação para o agronegócio; é sede do Instituto Agronômico, um dos melhores do Brasil.

 

Mas o vídeo não diz que Campinas é aquela que teve prefeito, primeira-dama e vice foragidos da polícia. Única de onde sumiram 300 kg de cocaína de dentro da delegacia. É a terra de Carlos Gomes, mas demoliu o Teatro Municipal “Carlos Gomes”. Teve os trilhos de seus bondes roubados e ninguém pegou o ladrão. Tem veículo leve sobre trilhos sem veículos e só resquício de trilhos: tudo levado na mão leve. É a que matou uma árvore e deixou morrer outra, testemunhas de sua vida.

 

Não tem onde atender 17 mil casos de dengue, mas informa à imprensa lusa e à Federação Portuguesa de Futebol que a situação está “controlada”. Conta que temos muitas áreas verdes, mais de 1.800 praças, 26 parques e bosques, mas esconde que quase tudo está loteado para cracolândias e traficantes.

 

Bom vídeo sobre a cidade, exibindo sua grandiosidade, sem realização produtiva alguma de seus governantes. Quando nos chamavam de orgulhosos, não tínhamos porque mentir.

 

Pregado no poste: “Surpreendente!”