Publicado 02 de Maio de 2014 - 22h08

Por Carlo Carcani

O jornalista Carlo Carcani Filho

Ércia Dezonne/AAN

O jornalista Carlo Carcani Filho

A Ponte Preta não vence desde 12 de março, quando seus reservas golearam o Náutico-RR por 4 a 1, na estreia na Copa do Brasil. Já o jejum do Guarani é um pouco maior. O Bugre não vence desde 1º de março, quando fez 2 a 0 no Barbarense pela Série A2. Os dois triunfos foram conquistados fora de casa.

Neste sábado, ambos voltam a campo, como mandantes. É muito importante, para os clubes e para seus novos treinadores, que maio comece com a vitória que não veio em abril.

Dado Cavalcanti comanda a Ponte Preta pela quarta vez no jogo contra o Luverdense. Até aqui, acumula três empates, o que é um fato muito curioso para uma equipe que, até a sua contratação, não havia empatado uma vez sequer durante a temporada.

A Macaca vinha de nove vitórias (oito no Paulistão e uma na Copa do Brasil) e nove derrotas (todas no Estadual) até iniciar a atual série de resultados iguais.

Dos três empates de Dado, só o da estreia contra o Icasa foi ruim, por ter sido no Majestoso. O 1 a 1 diante do Paraná e o 2 a 2 com o Atlético-GO foram bons. Em Curitiba, conseguiu um resultado que lhe deixa com boas chances de avançar na Copa do Brasil. O resultado do Serra Dourada também foi positivo porque a Macaca esteve em desvantagem em duas oportunidades e mostrou poder de reação na casa de um adversário que vive bom momento.

Em Americana, o Guarani recebe o Madureira. A única novidade na equipe já escalada por Evaristo Piza é a volta de Fumagalli, que fará o seu primeiro jogo na Série C e também o primeiro sob o comando do novo treinador, que estreou no último final de semana com uma derrota para o São Caetano.

Mesmo em casa e pressionados pela necessidade de vitória, tanto Dado como Piza optaram pela manutenção do esquema com três volantes. Eu acho que é cautela demais e ousadia de menos para quem, pelo menos na teoria, tem o acesso como meta.

Tanto Luverdense (dois pontos a mais do que a Macaca na Série B) como Madureira (três a mais do que o Bugre na Série C) estão à frente de seus adversários na classificação. É certo que voltarão para casa muito satisfeitos se, ao final do dia, a vantagem for a mesma.

Dado e Piza sabem que precisam vencer e acreditam que podem chegar lá com escalações mais conservadoras. É importante que comecem a mostrar às torcidas, já a partir deste sábado, que estão no caminho certo. Maio não pode ser seco como abril.

Escrito por:

Carlo Carcani