Publicado 03 de Maio de 2014 - 12h25

Por France Press

Pelo menos sete pessoas morreram neste sábado (3), incluindo um oficial da polícia, em consequência de uma forte explosão causada por uma bomba perto do centro da capital somali, Mogadíscio, anunciaram as autoridades.

 

Fontes dos serviços de segurança indicaram que uma bomba acionada por controle remoto havia sido afixada na parte de baixo do carro conduzido por Abdikafi Hilowle, um oficial da polícia e ex-chefe da administração da cidade, que morreu no atentado. Outras fontes indicaram que a bomba tinha sido colocada na beira de uma via movimentada.

"Várias pessoas morreram, pelo menos sete, das quais quatro civis e três policiais", declarou à AFP o policial Mohamed Duale, no local da tragédia.

O atentado, "aparentemente, tinha Hilowle como alvo. Alguns de seus seguranças estão entre os mortos", acrescentou.

A bomba explodiu perto de um cruzamento movimentado, no centro de Mogadíscio, nas proximidades da embaixada da Turquia.

"As forças de segurança cercaram a área e atiraram para o alto para dispersar os curiosos que se aproximavam. Foi uma cena horrível. Uma mãe e seus filhos também estão entre as vítimas", declarou uma testemunha.

A autoria do ataque não foi reivindicada até o momento.

Em outro episódio de violência neste sábado, um deputado somali escapou de uma tentativa de assassinato depois de ter sido alertado que uma bomba estava presa em seu carro. O dispositivo foi ativado e destruiu o veículo estacionado diante de um hotel, ressaltou uma fonte de segurança.

Estes foram os últimos de uma série de atentados na cidade atribuídos aos insurgentes islâmicos shebab, ligados à Al-Qaeda, que lutam contra o frágil governo somali, apoiado por uma força militar da União Africana e financiado pela comunidade internacional.

Escrito por:

France Press