Publicado 02 de Maio de 2014 - 10h40

Por France Press

Naufrágio de embarcação sul-coreana deixou 6 mortos e 290 desaparecidos

France Press

Naufrágio de embarcação sul-coreana deixou 6 mortos e 290 desaparecidos

Um vídeo gravado com um telefone celular mostra jovens sul-coreanos rindo e fazendo piadas sobre o "Titanic", pouco antes de centenas deles falecerem no naufrágio da balsa na qual viajavam. Um estudante de 17 anos, cujo corpo foi encontrado entre os destroços do ferry, que naufragou com 476 pessoas a bordo, filmou estas imagens com seu telefone no dia 16 de abril.

No vídeo, divulgado pelos meios de comunicação sul-coreanos a pedido do pai do estudante falecido, aparecem jovens que inicialmente parecem estar de bom-humor quando a balsa se inclina para a direita.

 

"Salvem-me!", brinca um estudante, enquanto outro sugere publicar o vídeo no Facebook.

"Isto está se tornando o 'Titanic'", afirma um terceiro.

O telefone indica que Park Su-hyeon começou a gravar às 8h52 locais, alguns minutos antes do envio da primeira chamada de socorro pela tripulação do "Sewol".

Os jovens, em viagem escolar, continuavam animados onze minutos mais tarde. Em um tom cômico, um deles considera que deve falar suas últimas palavras, enquanto outros se perguntam se o incidente aparecerá nos jornais.

No entanto, a angústia e a confusão se apoderam pouco a pouco dos jovens, quando se dão conta da gravidade da situação.

Um estudante, com as pernas trêmulas, sente náuseas.

"Não entendo. Temos que colocar os coletes salva-vidas? Isso quer dizer que o barco está afundando?", se pergunta outro adolescente depois de ouvir a ordem de colocar os coletes.

Os jovens aparecem com o rosto desfocado nas imagens divulgadas.

Durante toda a gravação, é possível ouvir a tripulação ordenar aos passageiros que não saiam do lugar.

"O que o capitão está fazendo?"

O capitão e 14 membros da tripulação, que sobreviveram à catástrofe, foram detidos e acusados de negligência por demorar para dar a ordem de evacuação. Quando a ordem foi emitida, a inclinação da embarcação impedia que os passageiros a abandonassem.

Após sua detenção, o capitão explicou que queria impedir que os passageiros saltassem ao mar antes da chegada das equipes de resgate, para que não se afogassem.

"O que o capitão está fazendo?", se pergunta um estudante no vídeo.

Dos 476 passageiros do "Sewol", 325 eram estudantes da mesma escola que participavam de uma viagem organizada para um resort na ilha de Jeju.

O balanço do naufrágio era nesta sexta-feira de 226 mortos e 76 desaparecidos.

O vídeo pode aumentar a raiva das famílias das vítimas, diante da aparente combinação de graves falhas, incompetência e negligência.

O capitão titular da balsa, de férias no momento do acidente, declarou aos investigadores que havia advertido a companhia sobre graves problemas de estabilidade na embarcação, mas em vão.

A empresa, Chonghaejin Marine Co., comprou a balsa em 2012, quando ela já contava com 18 anos de serviço, e mandou construir cabines adicionais. Esta modificação alterou seu equilíbrio e reduziu a capacidade de resistência da embarcação às ondas.

A investigação deve estabelecer se a balsa estava sobrecarregada no momento do naufrágio.

Na segunda-feira, uma gravação divulgada pela guarda costeira sul-coreana já havia provocado indignação dos parentes, ao mostrar o capitão Lee Joon-seok fugindo durante o naufrágio, enquanto muitos dos passageiros permaneciam no interior da embarcação.

O vídeo de 10 minutos - feito por autoridades de resgate e exibido na rede de televisão YTN - mostra o capitão, de 69 anos, vestindo apenas um suéter e roupa íntima e fugindo apressadamente da balsa.

 

Veja também

Escrito por:

France Press