Publicado 31 de Maio de 2014 - 17h14

Por Agência Anhanguera de Notícias

Moura Júnior teve seu diploma de prefeito cassado pela terceira neste mandato

Cedoc/RAC

Moura Júnior teve seu diploma de prefeito cassado pela terceira neste mandato

A Justiça Eleitoral de Paulínia cassou o diploma do prefeito Edson Moura Júnior (PMDB) e do vice, Francisco Almeida Bonavita Barros (PTB), por uso indevido de meios de comunicação, e também declarou inelegibilidade dos réus por oito anos.

 

De acordo com a sentença da juiza Márcia Yoshie Ishikawa, os dois políticos e o pai do chefe do Executivo, Edson Moura (PMDB), foram beneficiados por um jornal e um site durante a campanha eleitoral de 2012. Esta é a terceira vez que Moura Júnior tem o mandato cassado. A assessoria de imprensa da Prefeitura informou neste sábado que a Administração não foi notificada e assim que isso ocorrer, entrará com recurso na Justiça.

Moura Júnior é o segundo prefeito da Região Metropolitana de Campinas (RMC) cassado na última semana. Na quinta-feira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) votou pela cassação do mandato do prefeito de Americana, Diego de Nadai (PSDB), que deverá deixar o cargo nos próximos dias.

A denúncia contra Moura Júnior alegou que os veículos de comunicação “tentavam propaganda excessivamente negativa” aos adversários, que ocupavam, na época, cargos na Administração municipal e “excessivamente positiva a eles”. A decisão da juíza, publicada na última quarta-feira, determina que os três réus fiquem inelegíveis pelos oito anos subsequentes à eleição em que se verificou o uso indevido dos meios de comunicação.

A defesa dos réus alegou que os documentos incluídos no processo não eram válidos por terem sido apresentados em fragmentos, mas que retratavam o exercício do trabalho jornalístico, não caracterizando propaganda eleitoral. Já o Ministério Público (MP) deu parecer favorável à acusação. A juíza afirma que, pela leitura dos jornais, verificou-se o abuso na utilização dos meios de comunicação, “pois houve jornalismo propositalmente tendencioso aos réus, em detrimento de seus adversários políticos”.

Escrito por:

Agência Anhanguera de Notícias