Publicado 02 de Maio de 2014 - 5h00

PT

 

Rubens Atensia Júnior

Empresário de tecom, Campinas

É inacreditável a cara de pau desse governo petista, apesar das provas obtidas, dos fatos apurados, com gravações feitas pela Polícia Federal, com a corroboração de investigações, depoimentos coletados com os envolvidos nos inúmeros desvios, provas cabais no Caso Petrobras. Dois fatores são abusivos: querem alterar os parâmetros legais na tentativa de saírem impunes. Estão veiculando propagandas na mídia televisionada, de alto custo, dizendo que a empresa é a que mais cresce, sendo que a realidade é que conseguiram transformá-la na empresa mais endividada do planeta, e que perdeu seu valor de mercado em mais de 500%. Concluindo, existe um limite que a ninguém é permitido ultrapassar. Entretanto, se as entidades que são responsáveis pelo cumprimento das leis não exercerem sua função (…) estarão compactuando e serão cúmplices dos crimes de leso à Pátria e poderão ser julgadas no futuro. (...)

Copa 1

 

Marta Regina de Souza Maia

Aposentada, Sumaré

Muito oportuno o comentário do sr.Wagner Nascimento Jayme sobre a Copa. Quando o Brasil foi sorteado como sede da Copa do Mundo, não me lembro de passeatas, faixas discordando desse evento, nem tampouco demonstrando tanto descontentamento. Vi muita alegria nesse dia, como se fosse a melhor coisa do mundo para o Brasil. Agora, com tamanho descontentamento com o nosso governo, que não é de hoje que está aprontando e a cada dia parece piorar. Querem manchar mais ainda nosso País, queimando, fazendo passeatas, quebrando, ofendendo. Tudo está em curso, os estrangeiros não têm culpa, cidadãos brasileiros não têm culpa. Outros países não escolheram o Brasil para ser a sede. Devíamos realizar esta Copa (...) e mostrar nosso descontentamento nas urnas. As eleições estão aí. (...)

Copa 2

 

Milton Cesar de Souza Alves

Monitor social, Campinas

Como posso não me empolgar com uma Copa do Mundo que será realizada no meu País? Simples, sabendo de tudo o que se passa no Brasil. Nada do que é divulgado é surpresa para quem lê o Correio nesses anos todos. Todos esses desmandos já acontecem há anos, só ficou mais claro agora que todos os “esforços” do governo (que jurou que não iria colocar verba pública nos estádios) são voltados para a Fifa. E aí não temos nenhuma melhoria em nada (nem transporte, nem estradas ou aeroportos), hospitais e escolas sucateados. O Brasil agora é comandado pela Fifa. O que lembro de outras Copas era sempre a empolgação do povo, os jovens e crianças, principalmente, mas desta vez, nem meu filho de 10 anos está empolgado. Qual será então o legado desta Copa?

Copa 3

 

Jose G. M. Camargo

Médico, Campinas

Prezado advogado: quero esclarecer que jamais torceríamos contra o Brasil como País. Queremos sim seu progresso, que certamente não virá com os ex-guerrilheiros, mensaleiros e corruptos no poder. O futebol é um esporte e a Seleção é apenas um punhado de dirigentes e jogadores que se enriquecem cada vez mais, sendo usada para desviar a atenção dos reais problemas da Nação. Nunca um País gastou tanta verba pública numa Copa, ainda com obras inacabadas! Torcemos para a não reeleição dos corruptos e aproveitadores e para um “hexa” de honestidade e competência na direção da Nação.

Meio ambiente

 

Ralfo Bolsonaro Bueno Penteado

Engenheiro civil, Campinas

Matas ciliares, manaciais e nascentes que “se cuidem”, por tão significativo exemplo. O mês de abril pode não ter sido o mesmo que os anteriores, mas as queimadas de cana de açúcar in loco, ou seja, nos locais de lavoura, o foram como há anos, na Fazenda Malabar e cercanias (Itatiba e Morungaba), assim como sujeira e danos na vicinal Estrada da Bocaina. Assim, mais um ano, apesar da existência da Secretaria do Meio Ambiente (SMA-SP), Cetesb, Polícia Ambiental e extensa legislação.

Petrobras

 

Geraldo Poletto

Aposentado, Campinas

Luiz Antonio da Motta Veiga, jovem advogado, estudou administração pública na "Ecole Nationale d’Administration". Presidia a Comissão de Valores Mobiliários durante o governo Sarney, quando foi considerado o mais severo presidente da CVM até então. Foi nomeado presidente da Petrobras no governo Collor, de março a outubro de 1990, quando pediu demissão do cargo por resistir à pressão exercida pelo Planalto, através do malfadado PC Farias, de tão triste memória, no sentido de usar a Petrobras em maracutaias financeiras. Foi considerado “peça que não funcionava” e descartado pelo Planalto quando se demitiu, sendo substituído por alguém mais maleável e não “insubordinado” aos propósitos escusos. Vê-se logo pelo noticiário atual que o governo mudou de mãos, mas não mudou de objetivo: o de usar a Petrobras em propósitos políticos, levando a estatal a uma situação de quase falência.

Buracos

 

Eliana de Lima Andrade

Advogada, Campinas

É inevitável caminhar por Campinas e não perceber os diversos cavaletes da Emdec espalhados por toda a cidade.

Trata-se da mais nova solução encontrada pela Prefeitura para os diversos buracos. Afinal, para quê tampá-los, se muito provavelmente surgirão outros?

Collor

 

Uriel Villas Boas

Advogado, Campinas

A decisão do STF sobre o ex-presidente Collor chama a atenção por duas razões. A primeira, por certo, a absolvição. Quer dizer que ele não é culpado em nenhuma das acusações? Incrível. A segunda, vem do grande lapso de tempo até que a decisão definitiva fosse proferida. Por que tanta demora? E esse não é um fato isolado. São muitos os processos em tramitação que não são pautados e isso pode contribuir para diminuir o conceito do Judiciário, o que é muito perigoso. E que não se pense em homenagear o ex-presidente agora absolvido.

Saúde

 

Guacir Rocha

Vendedor, Campinas

Já que os nossos postos de saúde e hospitais estão lotados, tenho uma sugestão: as pessoas deveriam ir se consultar no Sírio Libanês gratuitamente. Que tal? Já que nossos parlamentares vão sempre para lá, o povo também teria que ter o mesmo direito,certo?