Publicado 30 de Abril de 2014 - 5h00

Bueiros

Carlos Cavalcanti

Aposentado, Campinas

Sr. Adalberto Manoel, concordo com o que o sr. escreveu nesta coluna no dia 25/4, porém, na questão de bueiros entupidos, a culpa não é da Prefeitura e sim dos mal-educados que fazem das ruas da cidade o lixão de suas residências. Jogam tocos de cigarros, garrafas, papéis, enfim, qualquer coisa que estando em seu poder, acabam não procurando uma lixeira para seu descarte. Então, bueiros entupidos são de responsabilidade dos seres humanos, “porcos” por natureza.

Educação

 

Fabio Biral

Jornalista, Campinas

Muito bom o artigo de Luís Norberto Pascoal, Algo para comemorar, do dia 25/4. O nosso País prioriza um ensino direcionado a formar alunos para as universidades. É nossa cultura. O mercado de trabalho brasileiro carece de técnicos. Esta formação produziria situações mais equilibradas para a sociedade, pois, teríamos oferta de mão de obra especializada e um consumo maior, uma vez que, esse nível de formação técnica teria assimilação garantida. Porém, o Estado lavou suas mãos. Tardiamente, o governo federal criou o Pronatec, só depois que percebeu a importância do ensino profissionalizante como fator capaz de mudar a realidade do País e torná-lo avançado. Como disse o autor citado: esses cursos são a base da produtividade dos países mais avançados. As boas escolas públicas estaduais profissionalizantes ainda são muito poucas.

Lula

 

Ubiratan Parada

Aposentado, Campinas

Será que a população não tem conhecimento dessa grave enfermidade que o ex-presidente enfrenta há tanto tempo? O “coitado” está com problemas de “não vi, não ouvi, não sei, não lembro” e agora, “estou tonto, não sei onde estou”. Ora, tonta é a população que está com o seu título pronto para dar continuidade a essas causas absurdas que são divulgadas. Nós, a população simples, vamos a um postinho de saúde e saímos medicados. Agora o atendimento no Sírio Libanês deve ser igualzinho e gratuito, pois, receberam um alto escalão. Gente, minha gente, vamos dar continuidade a essa “farra”, pois, breve teremos uma outra figura que vai tratar do antigo “câncer” manifestado na sua campanha. Lembrei de um antigo provérbio: “vaso ruim não quebra”.

Dengue

 

Silvio Moreira Lima

Autônomo, Campinas

Uma agente de saúde visitou minha residência, nada encontrando para que o mosquito se prolifere. Só elogios! Aviso a agente que a casa vizinha possui um grande buraco na telha há mais de cinco anos, porém, sendo inquilinos do local, eles estão pouco ligando para arrumar a telha! Achei que a agente de saúde fosse bater na casa indicada, mas para minha surpresa, ela disse que o dono do imóvel é que teria que arrumar a telha, virou as costas e foi embora! Essa é a instrução que as equipes recebem para combater o mosquito nas ruas? O que adianta eu cuidar de meu quintal se alguns vizinhos adoram morar em “chiqueiros”?

Rodovias

 

Mario Kubota

Engenheiro eletricista, Campinas

Excelente a matéria do Caderno A+ do último domingo. Faço dois comentários: tenho dúvidas quanto a data da duplicação e pavimentação da 2ª pista da Via Anhanguera. A Wikipédia também registra como em 1953. Para mim foi no final da década de 1960. (…) O segundo, se refere ao valor investido pela Rodovias das Colinas (de 2000 a 2013): onde foram investidos os R$ 1,7 bilhão de reais? De todas as rodovias que chegam, partem ou passam por Campinas, é a única concessionária que não tem obra. O maior gargalo atualmente é a Rodovia Santos Dumont, no trecho Via Bandeirantes/Via Anhanguera, sem nenhuma obra à vista. Tudo é uma questão de contrato? A gestora deve negociar com o Estado para solucionar o tráfego intenso e congestionado entre Viracopos e Centro de Campinas. (…)

Segurança

 

Carlos Alberto Marchi de Queiroz

Professor de Direito, Campinas

Desastrosa, em todos os seus aspectos, a infeliz frase registrada pela coluna Xeque-Mate, Correio Popular, A10, 26/4, proferida pelo prefeito Jonas Donizette, durante o café da manhã com empresários do Lide. A partir do momento em que o burgomestre da 8ª cidade do País reconhece que a criminalidade “é igual a inflação, se conseguirmos conter a criminalidade hoje, ainda vai levar duas décadas para que se tenha a sensação de segurança”, a população passa a sentir-se desprotegida. Sr. prefeito, não basta ter apoiado, (…) a criação da 2ª Delegacia Seccional e agora ter aumentado o efetivo da GM em mais 100 guardas. É preciso (…) prestar mais atenção nos problemas da educação, da saúde e da própria segurança da população campineira, repensando o contingente da GM. Pense antes de falar, sr. alcaide!

Copa

 

Rui Tomás Barbosa

Jornalista, Campinas

Faltando poucos dias para o início da Copa do Mundo, eu pergunto: será que nossa cidade está preparada para receber turistas de várias partes do mundo? As Seleções de Portugal e Nigéria ficarão hospedadas aqui em Campinas e desde já começo a me sentir envergonhado, pois nossa cidade não tem a mínima condição de receber os 30 mil turistas que supostamente são esperados. (…) Nossas autoridades estão muito focadas em preparar os estádios onde essas duas Seleções vão treinar e esquecem do resto, como a segurança, o trânsito etc. Tenho o maior respeito pela Alexandra Caprioli, diretora de Turismo, mas em termos turísticos, Campinas deixa muito a desejar. A menos que nossas autoridades pensem em levar esses 30 mil turistas para conhecer o Bosque dos Jequitibás, Parque Ecológico, Estação da Fepasa, Centro de Convivência, 13 de Maio, Parque Oziel e Monte Cristo. Que vergonha!

Cobertura

 

Alberto Buscaglione

Economista, Campinas

Gostaria de parabenizar o CP de 23/4 por duas publicações de excelente qualidade e de um serviço público inestimável. A primeira, uma reportagem sobre o serviço que está sendo feito nestes dias em relação ao surto de dengue, com uma cobertura primordial, indicando os pontos de foco e de tudo que está acontecendo sobre esse assunto na nossa cidade e região. A outra, a coluna do coordenador de Esportes deste jornal, sr. Carlos Carcani, sob o título Uma fenomenal figura decorativa. É isso mesmo que está acontecendo, e o único motivo de ter escolhido o Ronaldo Fenômeno como membro do COI foi o seu nome e imagem. Parabéns, sr. Carcani, pela sua coluna.