Publicado 29 de Abril de 2014 - 5h00

CPI ampla

Carlos Sampaio

Deputado federal, Campinas

Sobre a carta de Adilson Roberto Gonçalves (27/4/), com críticas ao meu artigo Um legado desastroso (Opinião, 23/4), gostaria de esclarecer que em nenhum momento fugi do tema CPI ampla. Ao contrário, nós, do PSDB, defendemos publicamente a abertura não só da CPI da Petrobras, como também a do metrô e de qualquer outra investigação que o Congresso achar relevante. Aliás, se o governo federal quisesse mesmo apurar qualquer irregularidade nos metrôs de todo o Brasil, já teria conseguido aprovar essa CPI há muito tempo, pois detém ampla maioria no Congresso. Quanto às pesquisas de intenção de voto, os números são claros ao apontarem que, apesar da Dilma ainda aparecer com vantagem, há uma visível queda na aprovação do seu governo e um desejo de mudança para 70% dos entrevistados. Só não vê quem não quer, não lê jornais, não vê televisão ou está cego em razão de sua indisfarçável vinculação com o PT, esse partido que fez tanto mal ao País!

INSS

Rubens Rodolfo A. Lordello

Advogado, Campinas

Já faz alguns anos que o INSS vem enganando o povo, dizendo que as filas acabaram. O INSS vem praticando o crime de estelionato, artigo 171, que consiste em obter vantagem ilícita, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante meio fraudulento. Na verdade, as pessoas ficam meses esperando em casa. Aqui em Campinas, quem pleiteia a pensão pelo falecimento do cônjuge em abril só vai ser atendido em setembro. Não pesquisei aposentadoria, mas deve demorar mais de ano. É ou não é um crime?

Saúde

Oscar Jorge Petrait

Aposentado, Campinas

O Centro de Saúde do bairro São Bernardo está com a obra parada desde 2011, por falta de pagamento à empreiteira na época. Depois disso, ocorreram mudanças no projeto e uma nova licitação seria aberta, conforme resposta da Secretaria de Comunicação em 27/8 nesta coluna, e até agora nada foi feito. Estamos em abril de 2014 e o local tomado pelo mato e a obra completamente abandonada. Já sumiu o portão, e nas lajotas já brotam arbustos. Os eleitores doentes que esperem por 8 a 10 horas na fila para uma consulta. A saúde do povo e a dengue que se explodam.

Zeza Amaral

Wilson Rodolpho de Oliveira

Advogado e jornalista, Campinas

O “Equilíbrio de Nash” não garante o “Ótimo de Pareto”, mas o Zeza Amaral não sabe disso, pois fica martelando o PT dia e noite e sem parar, numa estratégia ineficiente e ridícula. A melhor maneira de um pai fazer com que a filha se apaixone por um namorado é impedir o namoro. Ficar falando mal do petismo é chamar a atenção de todos para essa legenda, e, se quem fala mal é a minoria bem nascida, isso é, os ricos, então os mal nascidos, os pobres, correrão a votar no PT, cuja existência ficaram conhecendo graças à malhação do Zeza Amaral.

Ulysses Guimarães

Milton Dante Albieri

Adm. de empresas, Campinas

Não me sai da cabeça: Ulysses Guimarães foi assassinado? Naquela tragédia (esquema montado e programado), o PMDB, seu partido, não foi a fundo para investigar os fatos, pois se tornou um “parasita”, apoiando os desvio de dinheiro público. Veja bem o que eu vi (imagens da TV Globo): Ulysses Guimarães estava no heliponto ao lado do helicóptero, pronto para decolar, quando um homem, estatura mediana, branco, entregou-lhe uma carta. Ulysses pegou a mesma e a colocou no bolso interno do paletó, adentrou a aeronave e partiu. Alguns minutos após, o helicóptero, caiu ou explodiu? Era aquela carta uma carta bomba? Provavelmente, ele abriu para ler a pedido de alguém, até mesmo por um celular. A minha dúvida: todos os corpos foram encontrados e até a aeronave, só o de Ulysses que não. Deram um jeito de sumir com o corpo? Como iriam explicar para o povo brasileiro o atentado? (…) Se falam dos crimes da ditadura militar, e os crimes praticados na “democracia”?

Monarquia

Renato de Andrade Girardelli

Autônomo, Campinas

Gostaria que Vossa Alteza, o príncipe Bertrand de Orleans e Bragança, explicasse a nós, seus súditos, em que se baseou para proferir a palestra: “Brasil, uma Nação Predestinada a um Futuro Glorioso”, quando temos esse bando de políticos safados, liderados pelo PT do seu Lula da Silva, no comando da Nação que só traz vergonha aos brasileiros perante o mundo civilizado. Se pelo menos Vossa Alteza nos brindasse com uma proposta para reivindicar a volta da Monarquia, que um dia foi usurpada por um golpe republicano em 1889, aí sim poderíamos ter um pouco de esperança em um futuro glorioso. Caso contrário, só nos resta esperar por um futuro cada vez mais triste e sombrio.

Segurança

Edmilson Siqueira

Jornalista, Campinas

“É igual a (sic) inflação, se conseguirmos conter a criminalidade hoje, ainda vai levar duas décadas para que se tenha a sensação de segurança”. A frase, reproduzida pela coluna Xeque-Mate, é mais uma bobagem que o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, acrescenta ao seu repertório. A inflação que foi contida em 1994, seis meses antes de FHC tomar posse, por meio do Plano Real, surtiu efeitos imediatos, tirando da miséria mais de 30 milhões de brasileiros que tinham seus salários corroídos pela ciranda inflacionária. Quanto à violência, se ela for combatida de forma eficiente – com mais policiais e mais presídios, como é feito no mundo desenvolvido – o resultado aparece em um ano ou dois. Em nenhum dos casos o efeito demorará 20 anos para ser constatado. Talvez o prefeito tenha confundido os efeitos que uma educação de qualidade proporcione a um país. Aí sim: se um sistema educacional de qualidade for implantado no Brasil, em 20 anos, mais ou menos, teremos grandes resultados. Foi o que aconteceu na Coreia do Sul, por exemplo.

Haitianos

Jesus José da Silva

Aposentado, Campinas

Acerca da polêmica entre os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do Acre, Tião Viana, após o envio de 400 haitianos para a Capital paulista, reconheço a dificuldade do Estado acreano em abrigar os milhares que lá se encontram, porém, a ajuda humanitária deve proceder não apenas de São Paulo, mas, obrigatoriamente, do governo federal. Portanto, é recomendável que o sr. Tião Viana se dirija aos seus correligionários, presidenta Dilma e governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, solicitando a devida cooperação, inclusive para acolher os imigrantes em Brasília.