Publicado 30 de Abril de 2014 - 5h00

Artesão Aparecido Miranda dá vida a instrumentos musicais a partir da madeira

Reprodução

Artesão Aparecido Miranda dá vida a instrumentos musicais a partir da madeira

Com mais de 50 anos de experiência, o artesão Aparecido Miranda, de Monte Aprazível (SP), transforma madeira em fonte de música. Em uma pequena oficina, no quintal de casa, Miranda fabrica instrumentos de corda como viola, violão, violino e violoncelo e acredita que tenha produzido mais de 500 peças durante a carreira.

“Trabalhar com arte é instigante, puxa a gente ao máximo e exige o máximo da gente. Arte é arte, é evolução, é paixão. Não cansa, se acabar a paixão, acaba a arte”, afirma o artesão. No atelier, os instrumentos criados ficam expostos e a quantidade de madeira presente no local impressiona. “Fiz um violão que a madeira já foi porta, um cedro rosa. Já usei prateleira de banco, travessa de armário, caixa de bacalhau, a gente pega madeira por aí e tudo é reutilizado”, diz Miranda.

 

Papelão

Quem também sabe aproveitar o que seria jogado no lixo para fazer instrumentos musicais é o professor de música Wagner Roda. Morador de São José do Rio Preto (SP), o professor transforma caixas de papelão em tambores de vários tamanhos. “Utilizo barricas usadas pelas gráficas, que vem papel, que eu encontro isso no lixo, nas calçadas. Tudo o que eu vejo que tem uma sonoridade boa, pego para fazer instrumentos”, afirma.

Além de oficina de instrumentos musicais, o quintal da casa de Wagner é também funciona como sala de aula. Ele ensina música para crianças e adolescentes e, uma vez por semana, a turma se reúne para ensaiar. O sonho do professor é transformar o projeto em uma ONG para atender um número maior de alunos.

 

Com os tambores feitos de forma tão simples, ele acredita que pode mudar a vida de muitas crianças. “Já trabalhei muito com crianças em situação de risco, a gente vê que a música resgata a pessoa, é um benefício da música, dá uma perspectiva de que existem caminhos diferentes”, diz o professor.