Publicado 29 de Abril de 2014 - 10h11

Donald Sterling foi flagrado em uma conversa discriminatória

Robyn Beck/France Press

Donald Sterling foi flagrado em uma conversa discriminatória

As declarações racistas do dono do Los Angeles Clippers, Donald Sterling, começaram a trazer os primeiros prejuízos diretos à franquia. Preocupados com a ligação de suas marcas com o dirigente, alguns patrocinadores já anunciaram o rompimento com a equipe. Foi o caso da revendedora de carros CarMax, que encerrou uma parceria de 10 anos.

 

"A CarMax acha que as declarações ligadas ao dono do Clippers são totalmente inaceitáveis. Esse ponto de vista cria todo um conflito direto com a cultura da Carmax de respeito por todos", apontou a empresa em comunicado oficial.

Seguindo o exemplo da CarMax, a empresa de tráfego aéreo Virgin America e a companhia de seguros State Farm também anunciaram a quebra da parceria com a franquia do Los Angeles Clippers. "As palavras atribuídas ao dono do Clippers são ofensivas. Enquanto os envolvidos resolvem os fatos, nós estaremos dando uma pausa em nossa relação com a organização", explicou a State Farm, também por meio de comunicado.

 

No último sábado (26), Donald Sterling foi flagrado em uma conversa telefônica com sua namorada, na qual a recriminava por uma foto ao lado do ex-astro da NBA Magic Johnson e pedia que ela não levasse negros aos jogos do Clippers.

 

"Me incomoda muito você querer aparecer ao lado de pessoas negras. Por que você faz isso? Você pode dormir (com negros), pode fazer o que quiser. A única coisa que peço a você é que não divulgue isso. E não os traga aos meus jogos", disse ele.

 

As declarações geraram repercussão e até o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, atacou Sterling. A NBA havia prometido investigar o caso e, ontem, a liga revelou que vai se manifestar sobre a situação ainda nesta terça-feira (29).

 

Veja também