Publicado 30 de Abril de 2014 - 16h34

Por Agência Estado

Neymar comemora gol com torcida brasileira na Copa das Confederações

France Press

Neymar comemora gol com torcida brasileira na Copa das Confederações

Campeões mundiais de todas as Copas pelo Brasil se reuniram no estádio do Morumbi nesta quarta-feira pela manhã para um evento da Mastercard. Zito, Clodoaldo, Mauro Silva e Marcos foram unânimes em afirmar que esta será a Copa do Mundo de Neymar. Apenas Amarildo pediu que as esperanças não sejam todas depositadas no craque do Barcelona.

Bicampeão com os títulos de 1958 e 1962, o "gerente" Zito, volante que ganhou o apelido por comandar a saída para o ataque, está apostando muito em Neymar. "Ele vai ser a salvação da lavoura. Neymar pra mim é o melhor jogador da América, já que não posso dizer dos jogadores de lá, vai ser o diferencial, é ele, craque. O Brasil tem o maior futebol do mundo e vai ser campeão", garante.

Zito não se importa com a pouco idade (22 anos) do camisa 10 da seleção. Aposta que, com ele em campo, o Brasil não terá um grande adversário neste Mundial. "Neymar é jovem, mas com talento especial e já está jogando fora do Brasil. Conhece futebol daqui e do mundo, vai fazer milagre, é um grande jogador."

Clodoaldo conhece Neymar desde os 11 anos. Acompanhou toda a formação do craque no Santos e não tem dúvida de que ele será o diferencial. "Vejo a seleção do Brasil muito fortalecida, defesa com jogadores consagrados, meio com formatação e criatividade e na frente vamos ter hoje o segundo melhor do mundo e que deve se transformar no primeiro depois da Copa, que é o Neymar. Para mim ele está apenas atrás do Messi hoje, mas acredito que ele esteja preparado para ser o craque (do Mundial)", afirma o volante da seleção de 1970.

"Tem muita diferença do Neymar da Espanha em relação ao que vai jogar no País. Qual a diferença? Com o Barcelona ele é um complemento, apenas um participante, na seleção brasileira é o melhor de todos e isso influi muito na sua confiança e capacidade", completou Clodoaldo.

Rival do Neymar nos clássicos entre Palmeiras e Santos, o goleiro Marcos, campeão mundial em 2002, esfrega as mãos na expectativa de show do "cara" da seleção.

"O Neymar se sai bem melhor com a camisa da seleção do que com a do Barcelona. A camisa da seleção faz bem pra ele, o Felipão libera para ele fazer o que quiser. No Barcelona não é assim, tem um sistema todo encaixado há muitos anos, ele acabou de chegar, não dá para ser o Neymar lá, mas dentro da seleção é o cara", observa Marcos. "A expectativa é grande em ser campeão, não adianta chegar na final e ser vice, estou muito confiante na seleção. Sabemos que jogar em casa faz uma diferença grande. E temos o Neymar."

Mauro Silva discorda quando falam que a seleção campeã em 1994 jogou feio. Mas não tem dúvidas de que, com Neymar, esse Mundial terá mais alegria em campo. "Vitórias e futebol bonito se completam." O ex-volante não teme pelas cobranças sobre o jovem e até vê como coisa positiva a fase não muito boa vivida pelo craque na Espanha.

"Acho que ele deveria ter ido antes para a Europa, mas as dificuldades e críticas agora são normais, até o Guardiola agora está sendo questionado. O Neymar pode usar isso, as dificuldades de lá, para vir mais forte, mais maduro e arrebentar na Copa. Depois vai dizer: Olha, eu sou o Neymar e conquistei a Copa para o Brasil. Espero que isso aconteça", diz. "Sair da zona de conforto para o sacrifício faz o jogador se superar. Ele vai estar mais preparado."

Apenas Amarildo, campeão em 1970, pede um pouco de calma com o atacante. "Um ótimo jogador, mas falta experiência que tinham outros do passado. É difícil apostar só no Neymar, deixar a carga em cima dele é um erro. Ele é importante, mas não pode-se deixar só nele, é uma covardia, Neymar é um garoto novo. Quando fomos campeões, tínhamos 11 craques em campo", enfatizou o ex-atacante.

Escrito por:

Agência Estado