Publicado 29 de Abril de 2014 - 16h13

Por Agência Estado

Dilma participa de inauguração de ala de aeroporto feita após concessão

Agência Brasil

Dilma participa de inauguração de ala de aeroporto feita após concessão

Em um evento para entrega de máquinas agrícolas e lançamento de ações para o enfrentamento da seca no Nordeste na manhã desta terça-feira (29), em Feira de Santana (BA), a presidente Dilma Rousseff defendeu as ações sociais realizadas pelo seu governo - e pelo de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva - e disse "ter certeza" que o "povo brasileiro não vai desistir" dos avanços que, segundo ela, foram conquistados pelos governos petistas.

De acordo com a presidente, os últimos governos criaram uma "rede" de segurança social para a população. "Uma das coisas que mais me orgulham é que atravessamos a pior seca dos últimos 50 ou 100 anos no Nordeste e não houve invasão de supermercados, não houve aquela fome horrorosa", argumentou. "Ninguém se desenvolve só com obras, é preciso ações para as pessoas. Várias coisas foram feitas para que chegássemos à segurança social. Aí, quero lembrar do Bolsa Família e do Bolsa Estiagem."

Dilma também inseriu no rol de ações sociais feitas pelos governos petistas a resposta brasileira à crise econômica mundial. "Diante da crise internacional, nós não adotamos a alternativa conservadora, que foi adotada no Brasil pelos governos mais conservadores, na qual o peso da crise recai nas costas dos trabalhadores, dos mais pobres, da classe média, com arrocho salarial, com perda de postos de trabalho, como fizeram na Europa e nos Estados Unidos", disse. "Nós passamos pela crise garantindo empregos e aumentando o salário mínimo."

A presidente disse que sua administração vai manter a mesma linha. "Nós não vamos voltar atrás e tenho certeza que o povo brasileiro não vai retroagir, desistir disso que nós conquistamos, como a maior redução da desigualdade social no nosso país, maior criação de empregos que o Brasil teve", disse. "Nos últimos três anos e três meses, nós criamos 4,8 milhões de empregos. Esse processo tem a ver com a segurança social."

No evento, do qual participaram, além da presidente e do governador baiano, Jaques Wagner (PT), quatro ministros, parlamentares e todos os 190 prefeitos dos municípios contemplados com máquinas agrícolas - retroescavadeiras, motoniveladoras e caminhões -, a maior parte do tempo foi tomada pela entrega das chaves aos gestores municipais. Um a um, eles eram chamados ao palco para receber a certificação. Em seguida, tiravam fotos com Dilma e Wagner e, em seguida, eram dirigidos a outro grupo, para cumprimentar, também, os candidatos de situação ao governo, Rui Costa (PT) e ao senado, Otto Alencar (PSD). Todo o processo consumiu quase uma hora da cerimônia.

Escrito por:

Agência Estado