Publicado 02 de Abril de 2014 - 21h09

Por France Press

Quatro pessoas morreram e 14 ficaram feridas em um tiroteio na base militar de Fort Hood, no Texas, nesta quarta-feira (2), informou um oficial americano, acrescentando que o número de vítimas ainda pode mudar.

A CNN divulgou que o atirador foi atingido e que o próprio suspeito pode ter sido o autor dos disparos contra si mesmo. Também há informações de um segundo atirador.

As autoridades ainda não divulgaram se o atirador seria uma das vítimas fatais.

"Houve um tiroteio em Fort Hood, e há informes de feridos", informou a base militar em um primeiro comunicado, acrescentando que várias equipes de emergência estavam no local.

"Posso confirmar que há um atirador ativo em Fort Hood. O local foi fechado", disse à AFP Donnie Adams, tenente do condado de Bell, onde fica a base militar.

"Pediu-se a todo o pessoal em serviço que procurasse abrigo no local", postou a corporação em sua conta no Twitter.

Pelo menos uma pessoa foi levada para o hospital, de acordo com a emissora local KCEN TV, que mostrou imagens de viaturas de emergência. Uma das vítimas teria sido atingida no peito, acrescentou a imprensa.

A Casa Branca declarou que o presidente Barack Obama já foi informado da situação.

"Ele (Obama) continuará a receber atualizações sobre a situação ao longo da noite", disse o porta-voz Josh Earnest, acrescentando que o secretário da Defesa, Chuck Hagel, também será mantido atualizado, "conforme o desenrolar dos acontecimentos".

Earnest não comentou sobre as possíveis vítimas.

Um porta-voz do departamento do xerife do condado de Bell, Donnie Adams, disse à AFP que a base pediu ajuda. A polícia nos arredores de Waco confirmou os feridos.

"As autoridades estão alertando os que estão em serviço que fiquem longe das janelas, mantenham portas fechadas e trancadas. Há relatos de feridos", disse a polícia, no Twitter.

Em entrevista à KCEN TV, uma testemunha descreveu o suposto responsável pelo tiroteio como um homem branco que dirigia um veículo Toyota cinza e que teria usado uma pistola calibre 45. Além disso, o suspeito teria estado no edifício médico da base militar.

Em 9 de novembro de 2009, o major Nidal Hassan disparou na mesma base, onde são preparados os soldados destinados a zonas de conflito. O incidente deixou 13 mortos. No episódio, 12 dos mortos e 30 dos feridos eram soldados. Hassan foi morto por um policial civil, que respondeu ao ataque.

Escrito por:

France Press