Publicado 28 de Abril de 2014 - 9h27

Por Da redação

Homem é morto com 3 tiros na manhã desta segunda-feira, no Jardim Santa Bárbara, em Campinas

Dominique Torquato/AAN

Homem é morto com 3 tiros na manhã desta segunda-feira, no Jardim Santa Bárbara, em Campinas

Um comerciante de 39 anos foi morto com três tiros na manhã desta segunda-feira (28), no bairro Parque Santa Bárbara, em Campinas. Segundo as primeiras informações, ele foi atingido com um tiro nas costas e dois tiros na cabeça por volta das 8h, minutos depois de abrir sua loja. Um rapaz fez uma compra no estabelecimento, foi embora mas voltou em seguida e atirou nas costas do comerciante.

 

Mesmo ferido, ele tentou buscar ajuda a pé, pela Rua José Pereira Júnior. O acusado o seguiu e disparou duas vezes em sua cabeça. O comerciante morreu no local. O autor dos disparos fugiu em um veículo Gol branco. De acordo com a PM, o acusado de efetuar os disparos vestia jaqueta preta.

 

Ainda não informações sobre o paradeiro do bandido e nem sobre o motivo da morte. O caso será apresentado no 4º Distrito Policial, em Campinas. 

 

Aumento em casos de homicídios

 

Campinas registrou um aumento de 36% nos casos de homicídio no primeiro trimestre deste ano, na contramão dos demais índices criminais, que apresentaram queda ou se mantiveram estáveis de janeiro a março, na comparação com o mesmo período do ano passado. De nove crimes considerados mais comuns, houve o registro de queda em quatro. Os números foram divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

Conforme o balanço, foram registrados 45 homicídios na cidade no trimestre, ante 33 no mesmo período do ano passado. Outro índice que apresentou crescimento foram os roubos, com aumento de 5,6%. Em 2014 foram 2.107 casos notificados contra 1.995 do ano anterior.

Reduções

As maiores reduções ocorreram nos casos de furtos de veículos (23%), com 1.406 casos no ano passado e 1.079 este ano, e roubo de carga (25%), passou de 91 casos em 2013 para 68 em 2014. No primeiro trimestre deste ano 959 pessoas foram presas, 63 a menos do que no ano passado. Ao todo foram abertos 2.087 inquéritos policiais, 59 a mais do que no período anterior e 135 armas de fogos foram apreendidas pela polícia. Em 2013, no mesmo período, foram 156. No mês de março os comandos das polícias Civil e Militar foram trocados em Campinas, por questões pessoais e administrativas. Uma das atuais prioridades, conforme o divulgado à época, são o combate ao roubo e furto de veículos, o aumento do policiamento em áreas criticas e operações especiais.

A Ouvidoria das Polícias do Estado também divulgou na última sexta-feira (25) um balanço que ressalta que a falta de atendimento aos chamados da população foi a principal reclamação contra as polícias. De acordo com o relatório, das 11.080 queixas feitas em 2013, 22,9% são por problemas ligados aos pedidos de policiamento, tanto pelo 190 quanto nas delegacias e batalhões da PM. Em segundo lugar aparece a má qualidade no atendimento (16,65%), seguida por reclamações de falta de policiamento em locais de tráfico de drogas (12,73%). O relatório é encaminhado para a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) e para a Polícia Militar. 

Escrito por:

Da redação