Publicado 11 de Abril de 2014 - 10h46

Por Da redação

A Polícia Federal voltou a cumprir na manhã desta sexta-feira (11) 21 mandados expedidos pela Justiça Federal no âmbito da Operação Lava-Jato: dois de prisão temporária, quatro de condução coercitiva e quinze de busca e apreensão. As cidades são Campinas, São Paulo, Rio de Janeiro, Macaé e Niterói.

 

A PF representou por estes mandados para buscar documentos que auxiliem os trabalhos da investigação. O material arrecadado, de acordo com a PF, contribuirá para os relatórios finais dos inquéritos em andamento.

 

A ação desta manhã é uma continuidade ao trabalho realizado por agentes da Polícia Federal no mês de março. Em Campinas é cumprido apenas o mandado de busca e apreensão de materiais suspeitos para a sequente investigação.

 

Em março, a PF prendeu o doleiro Alberto Youssef, considerado suspeito e alvo da Operação Lava Jato. De acordo com a apuração, Youssef pagou R$ 7,9 milhões em propinas para o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa entre 2011 e 2012. Os pagamentos, segundo a PF, estavam “relacionados a obras da refinaria Abreu e Lima, licitada pela Petrobras na qual o investigado (Costa) teve participação”. 

Indiciado por corrupção passiva, Costa foi preso em regime temporário no dia 19 pelo prazo de 5 dias. Ontem, acolhendo pedido formal da PF, a Justiça Federal decretou sua prisão preventiva - a menos que consiga obter habeas corpus em algum tribunal, ele ficará preso até a instrução processual em juízo.

 

Como esta operação é sequência da ação principal, realizada no dia 17 de março, a PF não se pronuciará sobre os detalhes das apreensões.

Sobre a Lava-Jato

A operação Lava-Jato foi deflagrada em 17 de março deste ano e investiga esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas envolvendo quatro doleiros de ampla atuação no País. Acredita-se que podem ter sido movimentados pela quadrilha mais de R$ 10 bilhões.

Em Brasília

A Petrobras informou nesta sexta-feira (11) em comunicado que recebeu uma Ordem Judicial para entrega de documentação sobre um contrato investigado pela Polícia Federal. Um delegado e três agentes da polícia foram recebidos pela própria presidente da Petrobras, Graça Foster, em uma sala de reunião. Segundo o comunicado, a presidente acionou "imediatamente" a gerência jurídica da empresa para dar encaminhamento às solicitações dos agentes.

O comunicado informa ainda que a empresa cumpriu as determinações expedidas pela Seção Judicial do Estado do Paraná.

Veja o comunicado na íntegra: "A Petrobras recebeu hoje (11/4) e cumpriu imediatamente Ordem Judicial para entregar documentação referente a uma específica contratação. A Ordem Judicial foi expedida pela Seção Judiciária do Estado do Paraná. Um delegado e três agentes da Polícia Federal foram recebidos pela presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, em uma sala de reunião. Imediatamente, a presidente acionou a Gerência Jurídica da companhia para tomar todas as providências, com vistas ao cumprimento da Ordem Judicial."

 

Veja também

Escrito por:

Da redação