Publicado 01 de Março de 2014 - 5h30

Os contribuintes que vão passar longe da folia de Carnaval já podem antecipar a preparação do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). O programa está disponível para download e a entrega começa na próxima quinta-feira.

A região da Delegacia da Receita Federal de Campinas, composta por oito cidades, vai recepcionar 520 mil declarações. O volume é 4% acima dos 500 mil documentos do ano passado. Em 2013, 15.844 declarações caíram nas garras do Leão.

O delegado-adjunto da Delegacia da Receita Federal em Campinas, Wilson Nakayama, afirmou que os contribuintes devem ficar atentos aos parâmetros estipulados no programa deste ano.

“Os rendimentos anuais a partir de R$ 25.661,70 obrigam a entrega”, comentou. Ele salientou que uma das novidades do programa de 2014 é a disponibilidade do documento pré-preenchido. “Para utilizar esta opção, contudo, o contribuinte deve ter a certificação digital. A única limitação é se tiver declaração retida em malha fina”, detalhou.

O delegado-adjunto disse que 90% das funcionalidades do programa para desktop estarão disponíveis para os dispositivos móveis, como celulares e tablets, este ano.

“A limitação para o uso dos dispositivos é do contribuinte com rendimentos acumulados, que tenha declaração com carnê-leão ou obteve ganho de capital”, comentou. Nakayama afirmou que os contribuintes terão a opção de importar arquivos como dados da fonte pagadora.

O delegado-adjunto salientou que a entrega neste ano começa no dia 6 de março e se estende até 30 de abril. “A recepção terá início após o Carnaval”, disse. Nakayama comentou que não acredita que a greve dos Correios irá atrapalhar a entrega de recebidos de rendimentos encaminhados por instituições como os bancos.

“Como o prazo vai até abril, o problema já estará equalizado. Os contribuintes também podem solicitar uma segunda via do documento aos bancos e outras instituições”, afirmou.

Ele alertou aos contribuintes para que se atentem com as depesas e tenham todos os comprovantes. “A pessoa também deve relacionar todas as fontes pagadoras. Outro cuidado é com a inclusão de dependentes. Os contribuintes devem lembrar que os rendimentos do depende também devem ser colocados na declaração. Os recursos irão se somar aos rendimentos do contribuinte”, explicou. Nakayama lembrou ainda que informar na declaração de imposto pensão alimentícia que não é efetivamente paga configura fraude.

Na área da Delegacia Regional da Receita Federal, há 28.333 declarações em malha fina (incluindo o período anterior a 2013). De acordo com dados do Fisco, nos últimos seis anos houve um crescimento de 10,10% no volume de declarações. A quantidade passou de 472.289 documentos para esperado de 520 mil neste ano.