Publicado 01 de Março de 2014 - 5h30

Foi dada a largada ontem à maratona de folia do Carnaval de Campinas. Com mais de três horas de atraso, o primeiro dia de festa na passarela do samba, montado pela primeira vez na Estrada dos Amarais, contou com a presença da Corte carnavalesca e de trios elétricos. Os desfiles das escolas de samba estão marcados para amanhã e segunda-feira.

As atrações, que estavam previstas para as 20h, começaram pouco depois das 23h. Às 21h30, membros da organização ainda montavam a estrutura de detectores de metais e as placas de aço para separar a avenida de um matagal próximo. De acordo com o diretor de Cultura de Campinas, Gabriel Rapassi, o atraso aconteceu porque a estrada, por ser sexta-feira de Carnaval, foi bloqueada apenas às 20h.

Para quem foi curtir a programação do Carnaval 2014 “Vem que Tem”!, organizado pela Prefeitura de Campinas, a estrutura montada nos Amarais agradou, mas quem chegou no horário divulgado na programação oficial percebeu falhas na organização. “Nós não passamos pelo detector de metais e isso pode prejudicar o evento. Muitas famílias vêm para curtir, mas tem gente que pode vir para prejudicar a segurança”, disse a faturista Juliana Amâncio Fernandes, de 34 anos, que estava com o marido e os dois filhos. Apesar disso, a moradora da região gostou do sambódromo. “Acho que vai ter superlotação. Está muito melhor do que no Túnel (Joá Penteado). Tem bastante segurança, o espaço é maior.”

O cozinheiro Danilo Laodino, de 26 anos, que foi à festa com um amigo, também aprovou o local, mas ponderou. “Eu gostei da mudança, mas ao invés de investir aqui a Prefeitura deveria construir um sambódromo”, disse.

O casal de comerciantes Antonio Manoel Linhares Neto, de 30 anos, e Daniele Linhares, de 25, levou a filha Maykelle Linheres, de 6 anos. Eles não enfrentaram trânsito e estavam animados. “Gostamos muito. Que o Carnaval seja tranquilo e a noite maravilhosa”, disse Daniele.

A noite teve a apresentação da Rainha e do Rei Momo. Na sequência, o pagode invadiu a avenida com o grupo Samprazer, que subiu no trio elétrico e levantou o público. Até às 4h, estavam previstas apresentações da Banda Puro Encanto e Kebradeira.

Hoje, a partir das 20h, a festa será mais uma vez comandada pela banda Kebradeira e Axé Blond. As primeiras escolas de samba entram em cena amanhã, com desfiles da Águia de Ouro, Unidos do Paranapanema, Estrela D’Alva, Acadêmicos dos Amarais, Unidos do Shangai e Ponte Preta Amor Maior. Na segunda-feira, a avenida do samba recebe as agremiações Princesa de Madureira, Roda de Prata, Unidos de Vila Rica, Renascença e Leões da Vila Padre Anchieta.

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) criou uma linha especial, a 9.03 (Amarais/Terminal Central), com 21 ônibus atendendo em intervalos de seis minutos. Quem preferir ir de carro, a entrada para o estacionamento gratuito é pela Avenida Brasil.

O sambódromo erguido nos Amarais tem capacidade para 30 mil pessoas. São 800 metros de comprimento e 14 mil metros quadrados. O espaço também oferece uma praça de alimentação, uma base do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e um ponto de encontro com assistentes sociais. Todas as crianças receberão uma pulseira de identificação com nome e o celular dos pais. Em toda a área foram instalados 120 banheiros químicos. A segurança é feita por guardas municipais e policiais militares, além de 200 agentes de segurança terceirizados contratados pela Prefeitura. (Colaborou Inaê Miranda/AAN)

Bloco Ibaô vai às ruas e homenageia orixá Iansã

O primeiro bloco a sair pelas ruas de Campinas ontem foi o Ibaô, que tomou a Vila Padre Manoel da Nóbrega. De acordo com os organizadores, cerca de 100 pessoas participaram da folia, que começou na Avenida Canário.

Durante semanas, cerca de 70 pessoas trabalharam na confecção de roupas e adereços que foram utilizados para homenagear a orixá Iansã, divindade dos ventos e das energias do fogo, explicou a coordenadora do ponto de Cultura Ibaô, Alessandra Gama.

“Este ano tivemos uma divulgação muito importante na mídia e muitas pessoas da comunidade passaram a conhecer o bloco”, disse.

As vias foram tomadas por moradores do bairro que assistiram o bloco passar. “Acompanho todo ano a passagem do bloco e é uma alegria contagiante”, afirmou a dona de casa Luciana de Albuquerque, de 42 anos.

O casal Paulo Sérgio, de 28 anos, e Silbene Vitor, de 39, foram conferir pela primeira vez o Ibaô. “Vi na internet e resolvemos assistir. Valeu a pena porque é muito bonito ver essas pessoas dançando e sem a apelação sexual típica do Carnaval.”

A professora Silvia Sueli Margarido, de 42 anos, acompanhou pelo segundo ano a filha dançar no bloco. “Sinto muito orgulho de vê-los na rua. É uma energia muito boa que eles passam.”

O Ibaô existe há cinco anos, mas esta foi a terceira vez que saiu em cortejo pelo bairro. Amanhã, o grupo também abre o desfile das escolas de samba na Estrada dos Amarais.

Até a próxima terça-feira, ao menos 20 blocos carnavalescos irão desfilar em diversos pontos da cidade. (Felipe Tonon e Luciana Félix/AAN)