Publicado 06 de Março de 2014 - 5h30

A Seleção Brasileira não teve dificuldades para golear a África do Sul ontem, por 5 a 0, no estádio Soccer City, em Johannesburgo, no último amistoso antes da convocação para a Copa do Mundo. Contra um adversário frágil, o Brasil venceu com gols de Oscar, Neymar (3) e Fernadinho, uma das novidades do técnico Luiz Felipe Scolari no time titular.

A partida serviu para o treinador fazer as suas últimas observações antes da convocação para o Mundial, no dia 7 de maio, no Rio de Janeiro. A Copa começa em 12 de junho, com a partida entre Brasil e Croácia.

O lateral-direito Rafinha, do Bayern de Munique, e o volante Fernandinho, do Manchester City, foram os principais atletas observados pelo treinador. O primeiro ocupou a vaga de Daniel Alves, nome praticamente garantido na Copa, enquanto o segundo entrou no lugar de Luiz Gustavo, outro jogador com posto quase certo.

Rafinha teve atuação discreta nos 90 minutos. Mas ainda sonha com o lugar no Mundial. Ele jogou mais recuado e arriscou poucas jogadas com Hulk no ataque, pelo lado direito. Ele briga com Maicon pela posição de reserva de Daniel Alves. Já Fernandinho marcou um golaço, o quarto do Brasil. O volante disputa vaga com Lucas Leiva e Hernanes na equipe de Felipão. Segundo o treinador, 90% a 95% da lista para a Copa já está pronta.

O primeiro duelo do time de Felipão em 2014 também teve as estreias dos uniformes 1 e 2 da Seleção — no primeiro tempo, a equipe jogou de amarelo e no segundo entrou de azul. O amistoso também foi especial para os sul-africanos, pois fez parte dos festejos que marcam os 20 anos do fim do apartheid no país e serviu de homenagem a Nelson Mandela, que morreu há exatos três meses. Os jogadores da casa entraram em campo com uma camisa exibindo o número da cela em que Mandela esteve preso antes de se tornar presidente.

O jogo

O Brasil abriu o placar aos 9’. Hulk descolou lançamento pela direita e Oscar, na velocidade, bateu por cobertura. Aos 40’, Neymar aproveitou a marcação frouxa para encher o pé e ampliar.

Aos 24 segundos do 2 tempo, Fred lançou Neymar, que bateu por cobertura e anotou um belo gol. Aos 33’, Fernandinho arriscou chute de fora da área e ampliou o placar. A estrela do jogo, contudo, foi mesmo Neymar. Aos 45', o atacante do Barcelona recebeu ajeitada de Jô dentro da área e só completou para as redes, anotando seu terceiro gol na partida.

Durante o jogo, entraram Ramires, Willian, Luis Gustavo, Daniel Alves, Jô e Dante nas vagas de Oscar, Hulk, Paulinho, Marcelo, Fred e David Luiz, respectivamente — somente Bernard e Jefferson não entraram em campo entre os 19 convocados. (Das agências Estado e Folhapress)

ÁFRICA DO SUL

Williams; Ngcongca, Khumalo (Xulu), Nthete e Mtlaba; Jali (Zungu), Furman, Claasen (Ndlovu) e Serero; Parker (Patosi) e Rantie (Manyisa). Técnico: Gordon Igesund.

Garoto de 7 anos rouba a cena no final da partida

Esqueça os cinco gols da vitória do Brasil sobre a África do Sul. Esqueça que era o teste definitivo para a Copa. O lance do jogo entre brasileiros e sul-africanos, no estádio Soccer City, foi o garoto de sete anos que invadiu o campo e foi resgatado por Neymar.

Quando o árbitro Antonio Caxala apitou o fim do jogo, alguns torcedores começaram a invadir o gramado e foram retirados por seguranças. De repente, uma figura pequena, de verde e amarelo (cores da África do Sul também) apareceu correndo pelo gramado, em direção aos jogadores brasileiros. Os seguranças de aproximaram dele e o pegaram para tirar do campo. Uma sonora vaia começou no estádio, até Neymar agir. O camisa 10 da Seleção correu até os seguranças, os afastou, pegou o garoto no colo e o levou até os jogadores, no centro do campo, que o levantaram para o alto.

"Ele pulou sem qualquer aviso. Quando vi, ele estava dentro do campo", disse Shola Dosumo, pai do novo astro sul-africano, Ayo Dosumo, de 7 anos. Assim que o menino entrou no gramado, Shola correu atrás, foi parado por seguranças, mas depois liberado ao avisar que era o pai da criança.

Ayo estava tímido quando encontrou três jornalistas brasileiros já de volta à arquibancada. Muitos torcedores sul-africanos queriam uma foto com o garoto. "Qual o seu jogador preferido", perguntou a reportagem. "É Neymar?" O garoto apenas balançou a cabeça, empolgado, mas tímido com o assédio.

"Ele é um novo ídolo na África", disse o pai de Ayo, que resumiu a noite no Soccer City. "Estou muito feliz". (Folhapress)

Felipão elogia os novatos, mas ainda não fecha a lista

Luiz Felipe Scolari ficou satisfeito com o desempenho de Fernandinho e Rafinha, principais alvos de sua observação ontem, mas evitou fazer previsões sobre a convocação oficial para a Copa do Mundo, no dia 7 de maio. De acordo com o treinador, "a porta não está fechada para ninguém". "Nunca se pode fechar 100% a lista", destacou Felipão.

O volante teve maior destaque ao marcar um belo gol, no segundo tempo, depois de um desempenho mais discreto na etapa inicial. "O Fernandinho fez um golaço, mas não gostei dele apenas pelo golaço. Foi pela participação, pelos passes", disse Felipão, que também elogiou o lateral-direito Rafinha, do Bayern de Munique. "Achei interessante. Eu até estava falando para o Murtosa (auxiliar técnico) que o Rafinha lembra muito os laterais que tive no Grêmio. Jogou simples, normal, equilibrado, poucas falhas, participativo. É um jogador de grupo, que sabe se impor."

Neymar

Ao marcar três gols na vitória ontem , Neymar chegou à marca de 30 com a camisa da Seleção. Felipão aposta alto no seu camisa 10. "Ele vem para cá, do Barcelona, e encontra um ambiente propício que o faz feliz e jogar bem", disse o treinador.

O problema que envolve a transação de Neymar do Santos para o Barcelona, assunto que tomou conta do noticiário semanas atrás, virou tema proibido na Seleção. "Ele está certo em não comentar mais sobre isso. O assunto está solucionado e nós aqui também nem falamos disso com ele." Neymar deixou o gramado sem dar entrevistas. (AE)