Publicado 01 de Março de 2014 - 5h30

Preso desde julho de 2010 como mandante da morte de Eliza Samudio, Bruno é novamente um jogador de futebol. Pelo menos no papel. Ontem, o goleiro assinou contrato com o Montes Claros Futebol Clube, time que participa da segunda divisão do Campeonato Mineiro. Ele já está inclusive regularizado junto à Confederação Brasileira de Futebol.

O nome de Bruno — Bruno Fernandes das Dores de Souza — apareceu na tarde de ontem no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF. Ele assinou contrato válido por cinco anos, até o dia 27 de fevereiro de 2019.

Os advogados do goleiro levaram o contrato firmado na última quinta à Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Com a assinatura de Bruno, o acordo foi registrado na CBF no último dia de inscrições para o Campeonato Mineiro.

O objetivo da diretoria do Montes Claros é que o jogador esteja disponível para disputar o hexagonal final do Módulo II do Campeonato Mineiro, a segunda divisão do futebol do Estado. Mas o presidente do Montes Claros, Vile Mocelin, garantiu que a preocupação do clube é mesmo social.

"A preocupação do clube é dar oportunidade ao homem Bruno e ao atleta. Nós fizemos um trabalho social e acho que todo mundo merece uma segunda chance. A intenção do Montes Claros é de recuperar o homem", afirmou o dirigente, em entrevista ao BandSports, ressaltando que o salário do goleiro seguirá a média do elenco. "Ele vai ganhar o mesmo que os demais atletas, R$ 1.430, com multa de R$ 2,8 milhões", contou.

Cumprindo pena de 22 anos e três meses de prisão pela morte de Eliza Samudio, Bruno precisaria ser transferido para o Presídio Regional de Montes Claros inicialmente. O advogado do goleiro, Tiago Lenoir, disse que já solicitou a transferência. Além disso, a Justiça também deve determinar se o jogador vai poder treinar, viajar com o elenco em partidas fora de casa e se concentrar com o restante do elenco.

"Os artigos 36 e 37 da Lei de Execuções Penais garantem o direito ao trabalho mesmo em regime fechado. Como ele é um atleta profissional, queremos que o direito dele seja assegurado", afirma Lenoir, lembrando também que um médico atestou a boa condição física do goleiro após avaliação.

Esta não é a primeira tentativa de transferência do jogador. Em janeiro, a defesa de Bruno solicitou duas mudanças: uma para Montes Claros e outra para Nova Lima. O pedido para Nova Lima foi negado por má conduta do preso. (Das agências Estado e Folhapress)

Elenco promete oferecer apoio ao possível reforço

O elenco do Montes Claros, time do Norte de Minas Gerais, recebeu com agrado a notícia sobre a possibilidade de Bruno defender o time na segunda divisão.

O atacante Vinicius, um dos líderes do grupo, disse que uma possível chegada do goleiro é muito bem-vista. “Não haveria nenhuma rejeição por parte do grupo. O Bruno está pagando pelo o que ele fez e merece uma segunda chance. Sei que terá muita gente contra, mas eu e a maioria do elenco vamos recebê-lo de braços abertos.”

Por parte do atual goleiro do Montes Claros, Bruno também não teria rejeição. O arqueiro Tiago Wanderson, que é titular da equipe há duas temporadas e sofreu nove gols em 18 jogos pelo atual Módulo II do Campeonato Mineiro, declarou que está muito feliz com a possível chegada do colega de posição ao clube. “Estou com a cabeça muito boa quanto a isso. Como profissional, fico muito feliz pelo clube dar essa oportunidade ao Bruno. Todo mundo merece uma segunda chance. Nosso grupo vai apoiá-lo e vamos dar força para que ele se recupere”, disse o camisa 1.

Quanto à possibilidade de ter que disputar a posição com Bruno, Tiago garante que não teria problema. “Seria um prazer jogar com ele. Não o conheço pessoalmente, mas já o vi jogar no Mineirão quando eu defendia o Villa Nova de Nova Lima.”

Atualmente, o Montes Claros é o líder da chave B do Módulo II (que equivale à segunda divisão do Campeonato Mineiro) e já garantiu a classificação para o Hexagonal final da competição.

A FRASE

“Prefiro não comentar sobre o assunto antes de o jogador ser apresentado.”

25

Era a idade de Eliza Samudio, mãe do filho recém-nascido de Bruno e cujo corpo nunca foi encontrado