Publicado 01 de Março de 2014 - 5h30

No embalo da alegria do Carnaval, a Ponte Preta quer vencer o Oeste, hoje, às 18h30, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pela 11 rodada do Campeonato Paulista para se firmar na vice-liderança do Grupo C. A Macaca pode, pela primeira vez, abrir uma vantagem significativa sobre o São Bernardo, que perdeu para o Palmeiras, quinta-feira, por 2 a 0, e segue em terceiro lugar."Temos a oportunidade de abrir três pontos e ficar com duas vitórias a mais na tabela. Pode parece pouco, mas é bastante se considerarmos que a competição entrou na reta final. O tempo para reação é curto", destaca o técnico Vadão.Com apenas uma vitória, dois empates e sete derrotas em 10 jogos, o Oeste é o penúltimo colocado na classificação geral que vale para determinar os quatro rebaixados para a Série A2. Mesmo assim, Vadão entende que o retrospecto não serve como medida para definir favoritismo. "Às vezes, seu time joga bem e não consegue a vitória. Nós, por exemplo, não fizemos grandes partidas e conseguimos bons resultados. Vi alguns jogos do Oeste e é um time perigoso. Temos que ficar em estado de alerta", comenta.O atacante Alemão, que cumpriu suspensão automática na semana passada, volta para formar o trio de ataque com Ademir e Silvinho. Com o volante Bruno Silva suspenso pelo terceiro amarelo, o jovem Alef vai compor o meio-campo com Fernando Bob e Adrianinho. A defesa tem o goleiro Roberto e os zagueiros Cesar e Diego Sacoman confirmados. Ferrugem segue na lateral-direita.A dúvida fica na lateral-esquerda, já que Magal passou a semana em tratamento por conta de dores no joelho. Ontem, como o treino recreativo foi transferido para o ginásio do Paineiras por causa das chuvas, ele acabou poupado da atividade mais uma vez. "É uma precaução porque o Magal vinha reclamando de dores. Como o piso do ginásio é mais duro, resolvemos não correr riscos e deixamos ele tratando mais um pouco", esclarece Vadão.O treinador já adiantou que Thiago Carleto poderá ganhar sua primeira oportunidade como titular só se houver algum problema de última hora com Magal, "Não gosto de mexer no que está dando certo. O Magal vem cumprindo o que a gente pede e, inclusive, é um dos que mais participam do jogo", elogia Vadão. O torcedor da Macaca já demonstrou ansiedade para ver o jogador que veio São Paulo em ação. "É natural esta expectativa. Todos querem ver o Carleto, mas tenho uma conduta de trabalho e não posso mudar", finaliza o comandante.

Sérgio Guedes acredita que é possível escapar

O Oeste vem a Campinas hoje sob enorme pressão e com um velho conhecido da torcida da Ponte Preta no banco de reservas. No comando do time de Itápolis há três rodadas, o treinador que foi vice-campeão paulista em 2008 com a Macaca tem a árdua missão de livrar o Oeste do rebaixamento à Série A2.

A missão é bem complicada — Sérgio calcula que terá de vencer quatro dos últimos cinco jogos para evitar a queda —, mas o treinador ainda não jogou a toalha.

“O time tem se aplicado nos treinamentos e, apesar das derrotas, temos feito bons jogos”, analisa Sérgio Guedes, que perdeu os duelos contra XV de Piracicaba (3x2), Corinthians (2 x 1) e Audax (1 x 0). O problema é que a má fase começou bem antes da contratação do ex-pontepretano. A série atual de seis derrotas consecutivas foi precedida por dois empates e mais uma derrota.

“O Oeste não vence desde a primeira rodada (1 a 0 sobre o Penapolense, dia 19 de janeiro) e isso faz com que o time entre em campo sempre muito pressionado. Eles têm jogado no limite o tempo todo”, analisa Sérgio Guedes.

Goleiro formado nas categorias de base da Ponte no início dos anos 80, o técnico do Oeste conhece bem o Moises Lucarelli. “A Ponte Preta é favorita e vamos respeitá-la, mas esse é um jogo-chave para o Oeste. Quero ganhar, mas reconheço que não perder já será um bom negócio”, admite.

Em casa

Apesar das dificuldades, um outro fator mantém a esperança de reação de Sérgio. O Oeste ainda não disputou nenhum jogo em Itápolis porque o estádio estava interditado. “Agora nosso estádio finalmente foi liberado, com capacidade para 1.900 pessoas. Jogar em casa aumenta nossas chances. Mas para isso precisamos de um bom resultado em Campinas”, avalia o treinador. (Carlo Carcani Filho/Da Agência Anhanguera)

Após vacilos, time prega respeito ao adversário

Depois de vencer times grandes como Corinthians e São Paulo e passar por equipes como Penapolense e Audax que estavam em grande fase, a Macaca andou tropeçando em jogos contra adversários menores. Perdeu, por exemplo, para o lanterna Atlético Sorocaba e tomou uma goleada do XV de Piracicaba, que hoje ocupa o último lugar no Grupo B.

Por isso, os jogadores pregam respeito ao adversário, que é o penúltimo colocado na classificação geral e ganhou apenas um dos 10 jogos que disputou. "Estamos tendo alguns problemas em jogos desse tipo. Não podemos achar que jogar dentro de casa, contra um time que não vem bem, não dificulte para nós. Temos que entrar concentrados", comentou o meia Adrianinho.

O atacante Silvinho disse que houve um alerta no sentido de manter a postura adotada nos jogos considerados mais difíceis. "A conversa foi sobre como não errar como aconteceu na partida contra o Atlético Sorocaba. Eles estavam mal, mas acabaram vencendo o jogo. Agora, o Oeste passa pela mesma situação e não podemos vacilar de novo", comenta.

Na opinião do zagueiro Cesar, o adversário de hoje jogará para vencer. "O Oeste vai com tudo, como o Ituano veio aqui e como o Atlético Sorocaba nos surpreendeu. Eles vão querer ganhar e nós não podemos perder a chance de abrir uma boa vantagem sobre o São Bernardo", alerta.

O técnico Vadão ressaltou a importância do confronto para as duas equipes. "Para nós, é vencer para seguir na busca da classificação. Para eles, é a chance de sair da zona de rebaixamento", compara. (PS/AAN)

PONTE PRETA

Roberto; Ferrugem, Cesar, Diego Sacoman e Magal (Thiago Carleto); Alef, Fernando Bob e Adrinainho; Ademir, Alemão e Silvinho. Técnico: Vadão.

NO MAJESTOSO

Alvo certo

Desde que chegou, o meia-atacante Antônio Flávio se tornou o principal alvo das brincadeiras dos companheiros de time. Graças ao estilo do penteado, já ganhou apelido de Romarinho, Zé Pequeno, Martinália, entre outros. Ontem, ele foi cercado pelo time e levou tudo na base da gozação.

Conhecido

O árbitro Marcelo Prieto Alfieri, de 34 anos, foi sorteado para apitar o jogo. Ele também trabalhou na vitória da Ponte sobre o São Paulo (2x1), no dia 9. Em 2013, ele apitou quatro partidas da Macaca.

Carnaval

A unidade social do Jardim Paineiras terá quatro dias de festa no Carnaval no embalo do grupo Partido Alto, sempre a partir das 12h. Os pacotes para todos os dias custam R$ 80,00 (individual), R$ 100,00 (casal) e R$ 20,00 (crianças a partir de 12 anos). Menores de 12 anos, acompanhados dos pais, não pagam. O telefone é (19) 3251-4952.