Publicado 03 de Março de 2014 - 23h44

Sambódromo montado na Estrada dos Amarais ficou lotado de foliões que foram assistir ao desfile das últimas cinco escolas de samba

carlos

Sambódromo montado na Estrada dos Amarais ficou lotado de foliões que foram assistir ao desfile das últimas cinco escolas de samba

 

O sambódromo montado na Estrada dos Amarais ficou lotado de foliões que foram assistir ao desfile das últimas cinco escolas de samba na noite desta segunda-feira (3). Após a passagem da Corte Carnavalesca, o bloco Afoxé Omi Alado desfilou e abriu caminho para as agremiações.

A primeira escola a desfilar na segunda noite de apresentações foi a Princesa de Madureira, do Parque Oziel, que levou mais de 290 componentes e três carros alegóricos. A escola que tem como cores vermelho, azul, branco e preto, coloriu ainda mais o desfile ao cantar sobre a magia do circo.

Três vezes campeã do Carnaval de Campinas, a Rosas de Prata foi a segunda a invadir a passarela do samba e cantou “África: Mulheres Negras Guerreiras e suas Descendentes.” A escola desfilou com 650 pessoas e três carros alegóricos, a maior deste carnaval.

Na noite desta segunda também está previstos os desfiles das escolas Unidos da Vila Rica, apresentando um samba-enredo sobre o perfume; Renascença, com o samba que falava sobre a aviação; e Leões da Vila Padre Anchieta, com uma homenagem ao Nordeste.

 

 

A apuração dos desfiles das escolas de samba de Campinas será na quinta-feira (6), a partir das 14h, no ginásio Rogê Ferreira, no bairro São Bernardo. Cinco agremiações irão subir para o grupo especial e as demais ficarão no grupo de acesso.

De acordo com o diretor de Cultura de Campinas, Gabriel Rapassi, o modelo foi necessário para retomar as competições do Carnaval da cidade. “Todas as escolas que desfilaram este ano estavam em um único grupo e a partir dessas notas serão definidos os dois grupos (especial e de acesso) para o Carnaval do ano que vem”, disse.

Domingo

No domingo, primeiro dia dos desfiles das escolas de samba de Campinas, seis agremiações se apresentaram no sambódromo da Estrada dos Amarais.

O azul e branco da Águia de Ouro invadiu a avenida com um samba-enredo que falava sobre a história do açúcar. A escola levou para o sambódromo 129 integrantes e um carro alegórico. Não faltou empolgação da bateria comandada pelo Mestre Tom e dos dois casais de mestre-sala e porta-bandeira, Silvio e Eliana e Ed e Marta.

A segunda escola a desfilar foi a Unidos do Paranapanema, com o tema “Alegria, Alegria”, que cantava o circo.

Da Vila Costa e Silva, a mais antiga das agremiações, a Estrela D’Alva, encantou o público com um samba-enredo que falava sobre o amor. A escola foi fundada em 1950 e ganhou oito títulos consecutivos, de 1991 a 1998, no grupo Especial.

A grande surpresa da noite foi a escola “Acadêmicos dos Amarais”, que não iria desfilar porque teve as contas do ano passado rejeitadas e não recebeu verba da Prefeitura.

Mesmo sem o dinheiro, a presidência decidiu entrar na avenida, para delírio do público. A escola contou com dois carros alegóricos e com um samba que falava sobre a Educação.

Já passava das 2h quando entrou na avenida a Unidos do Shangai, que se apresentou com o maior número de componentes: 500 ao todo, e três carros alegóricos. “A força do guerreiro” foi o samba escolhido para este ano.

Fechando os desfiles de domingo, Ponte Preta Amor Maior fez uma viagem ao redor do Brasil e cantou os quatro cantos do País. Destaque para o carro abre alas, com um boi bumbá gigante, e o já tradicional gorila.

Nem mesmo a noite fria e o vento gelado na avenida do samba afastaram o público, que lotou as arquibancadas. Nos dois primeiros dias de festa, 33 mil pessoas participaram do Carnaval de Campinas

Nesta terça-feira (4), a avenida do samba dá novamente lugar ao axé. As bandas Axé Blond e Kebradeira comandam os trios elétricos a partir das 20h.