Publicado 01 de Março de 2014 - 15h16

Um decreto assinado no dia 17 pelo prefeito Alex Euzébio Torres (PR) impede que sons de outros ritmos se propaguem durante e após a apresentação das marchinhas no carnaval de São Luís do Paraitinga, no Vale do Paraíba, a 171 km de São Paulo. O objetivo é preservar a tradição e evitar a invasão de ritmos estranhos. A cidade, que até 1981 era proibida de festejar o carnaval, virou referência no resgate das marchinhas.

O decreto prevê que a folia termina exatamente às 2h do dia 5. Durante cinco dias, 25 blocos fantasiados vão desfilar acompanhados por 7 bandas em 14 apresentações. Entre os destaques estão Bloco do Saci, Pé na Cova e Espanta Vaca. O tema Chuva de Confetes foi escolhido por votação pela internet.

São Luís do Paraitinga pode tocar só marchinhas até 4ªf

  Tamanho do texto? A  

Um decreto assinado no dia 17 pelo prefeito Alex Euzébio Torres (PR) impede que sons de outros ritmos se propaguem durante e após a apresentação das marchinhas no carnaval de São Luís do Paraitinga, no Vale do Paraíba, a 171 km de São Paulo. O objetivo é preservar a tradição e evitar a invasão de ritmos estranhos. A cidade, que até 1981 era proibida de festejar o carnaval, virou referência no resgate das marchinhas. 

O decreto prevê que a folia termina exatamente às 2h do dia 5. Durante cinco dias, 25 blocos fantasiados vão desfilar acompanhados por 7 bandas em 14 apresentações. Entre os destaques estão Bloco do Saci, Pé na Cova e Espanta Vaca. O tema Chuva de Confetes foi escolhido por votação pela internet. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

fonte: Agência Estado