Publicado 06 de Março de 2014 - 5h00

Os vereadores de Campinas tiveram nesta quarta-feira (5) um amplo debate sobre a ação da Polícia Militar (PM) no distrito de Barão Geraldo, na madrugada da última terça-feira. A crítica foi sobre a truculência contra os foliões na Praça do Coco e a depredação de patrimônio no chamado “centrinho”. Os parlamentares querem explicações da Prefeitura, da PM e da Guarda Municipal.

 

Contra balas

 

A ação da Polícia Militar durante o Carnaval de Barão Geraldo na madrugada de terça-feira movimentou o meio político. O vereador Pedro Tourinho (PT) protocolou um projeto de lei para proibir o uso de balas de borracha em Campinas. A proposta foi protocolada na Câmara e é semelhante a apresentada pelo deputado Professor Tito (PT) na Assembleia Legislativa. No caso do deputado, a lei proíbe o uso da munições durante qualquer manifestação no Estado.

 

Carnaval relâmpago

A passagem do prefeito Jonas Donizette (PSB) pelo sambódromo dos Amarais, no último dia de Carnaval, foi relâmpago. Ele chegou às 22h30, cumprimentou foliões, conheceu o carro da Guarda Municipal que fazia o monitoramento por câmeras, andou pela praça de alimentação e subiu no camarote, onde tirou fotos com a Corte Carnavalesca e viu a passagem de um trio elétrico. Muita coisa, mas tudo feito em menos de uma hora. Foi embora sem nem tomar uma aguinha da Sanasa, a única coisa que tinha aos montes nos camarotes.

Show ao vivo!

O vice-prefeito de Campinas estava animado na última terça-feira de Carnaval. Henrique Magalhães Teixeira (PSDB) subiu no trio elétrico da banda Kebradeira e quebrou tudo na bateria. Tocou algumas marchinhas de Carnaval e relembrou o tempo em que tinha uma banda de rock.

Aplausos

 

Quem acompanhou a performance foi o prefeito Jonas, que gostou do som! Henrique também ganhou um fã-clube. Várias moçoas paravam de gritar seu nome. O tucano acabou sendo o destaque do Carnaval.

E continuou...

 

Depois de agitar no sambódromo, não é que o vice foi para Barão Geraldo? Ele estava lá no meio do bloco Berra Vaca, que saiu pelas ruas do distrito na madrugada desta quarta-feira . Segundo Henrique, ele foi se solidarizar com os foliões do distrito, após uma ação violenta da PM na terça-feira, que arremessou bombas de efeito moral e balas de borracha contra um grupo que pulava Carnaval.

Cheio de alegria

O secretário de Cultura de Campinas, Ney Carrasco, também saiu dos Amarais e correu para o mesmo bloco em Barão. Ficou do início ao fim e só foi embora quando já era dia. Ney não esconde o seu apreço pelo distrito. Sobre a ação da PM, disse que Barão “não merecia” o episódio e que o Berra Vaca fechou o Carnaval com chave de ouro. Ele estava bastante alegre!

Colaborou Felipe Tonon/AAN