Publicado 03 de Março de 2014 - 16h26

Por France Press

Um homem se aquece ao lado de uma fogueira na Praça da Independência, no centro de Kiev

France Press

Um homem se aquece ao lado de uma fogueira na Praça da Independência, no centro de Kiev

O ex-magnata do petróleo russo, Mikhail Khodorkovsky, que passou uma década em uma prisão da Rússia, se ofereceu nesta segunda-feira (3) para viajar à Ucrânia para tentar ajudar a resolver a crise entre Kiev e Moscou. "Declaro que estou pronto para viajar a qualquer lugar da Ucrânia em qualquer momento a convite de um responsável para ajudar a evitar um derramamento de sangue" nesse país, declarou Khodorkovsky em um comunicado.

Ele afirmou que acredita que "a presença de indivíduos independentes e conhecidos internacionalmente na Ucrânia poderia ajudar a prevenir o agravamento do conflito" nessa região.

Aos 50 anos, Khodorkovsky já foi o homem mais rico da Rússia e vive atualmente em um hotel de Zurique, depois de ser libertado em dezembro.

A proposta de mediação de Khodorkovsky aconteceu em um contexto de intensificação da crise entre Ucrânia e Rússia, após as acusações de Kiev de que Moscou enviou tropas à Crimeia, uma península estratégica no Mar Negro, povoada por uma maioria de pessoas que fala russo.

Escrito por:

France Press