Publicado 05 de Março de 2014 - 17h07

Por Agência Estado

Lais Souza deixou, nesta quarta-feira (5), a unidade semi-intensiva neurológica do Jackson Memorial Hospital, em Miami, nos Estados Unidos. Em recuperação do grave acidente que sofreu no dia 27 de janeiro, quando esquiava na preparação para os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, ela foi transferida para a unidade de reabilitação de lesões medulares do próprio hospital.

A atleta brasileira sofreu uma grave lesão na coluna cervical quando esquiava no Park City, em Salt Lake City (EUA), e precisou passar por cirurgia no Hospital da Universidade de Utah. No dia 5 de fevereiro, ela foi transferida para Miami, num centro médico especializado neste tipo de recuperação. Inicialmente, ficou internada na UTI, mas foi para a semi-intensiva há duas semanas.

Mostrando boa evolução na recuperação, ela foi agora para a unidade de reabilitação. "Lais está bem, muito forte emocionalmente, e seguindo à risca tudo o que lhe é pedido a cada etapa de seu processo de reabilitação. Está respirando bem, comendo de tudo, falando com todos ao seu redor", contou o médico brasileiro Antonio Marttos Jr, que trabalha para o Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

Segundo o médico, que acompanha o tratamento desde o começo, Lais realizará agora fisioterapia motora, respiratória e ocupacional de forma intensiva, das 9 às 16 horas. "Ela já aprendeu a dirigir a sua cadeira elétrica e tem passeado pelos corredores e jardins do hospital constantemente. Lais está consciente de cada etapa em sua recuperação e muito feliz com os progressos até este momento", disse.

Ginasta com participação em duas edições da Olimpíada - Atenas/2004 e Pequim/2008 -, Lais foi cortada às vésperas dos Jogos de Londres/2012, por causa de uma lesão. Depois disso, deixou a ginástica artística e aceitou o convite da Confederação Brasileira de Desportos da Neve para aprender a praticar o esqui aéreo estilo livre e competir no esporte. Ela se preparava para disputar os Jogos de Inverno de Sochi quando sofreu o grave acidente. Agora, vem enfrentando uma dura e longa reabilitação.

Escrito por:

Agência Estado