Publicado 21 de Fevereiro de 2014 - 21h56

Por Paulo Santana

Bida reforça o meio de campo da Ponte Preta no jogo contra o Penapolense

Leandro Ferreira/AAN

Bida reforça o meio de campo da Ponte Preta no jogo contra o Penapolense

Mesmo aos trancos e barrancos, a Ponte Preta vem conseguindo cumprir suas metas no Campeonato Paulista. Com 15 pontos ganhos, o time comandado pelo técnico Vadão ainda não encontrou seu melhor ritmo, mas já entrou no G2 e, neste sábado (22), às 16h, defende a vice-liderança do Grupo C no jogo com o Penapolense, no Estádio Tenente Carriço, em Penápolis. O adversário é o melhor time do Interior com 18 pontos e ocupa a primeira posição do Grupo B.

Para este jogo, Vadão não poderá contar com o atacante Alemão, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Assim, ele decidiu reforçar o meio-campo com a entrada do experiente Bida, para ajudar Adrianinho na criação das jogadas. “Independentemente de quem vai jogar, o importante é que todos tenham a consciência que existe o momento certo para atacar e defender. É preciso manter o equilíbrio, algo que ainda não está acontecendo”, alerta Adrianinho.

No ataque, Silvinho deve seguir atuando pelos lados do campo e o jovem Ademir passará a fazer a função de atacante de área. A defesa, considerada o ponto forte do time, segue formada com o goleiro Roberto, os laterais Ferrugem e Magal, além dos zagueiros Cesar e Diego Sacoman.

De acordo com Vadão, a manutenção da equipe só pode ajudar. “Ainda não encontramos o equilíbrio ideal, mas os resultados estão surgindo. Hoje, estamos na quinta posição no geral, dentro da zona de classificação para a próxima fase e dependendo apenas de nossas forças para conseguir a vaga. O time tem condições de melhorar”, avalia.

Com a vitória sobre o Linense, quarta-feira (19), por 1 a 0, a Macaca eliminou qualquer possibilidade de rebaixamento. Mas isso já não era preocupação da comissão técnica que quer voos mais altos. “Nossa intenção é buscar posições melhores. Primeiro, queremos ajustar o time. Depois, mirar uma vaga nas quartas de final. Se passarmos de fase, esperamos chegar a um nível técnico melhor do que hoje para enfrentar, provavelmente, o Santos e jogar de igual para igual”, considera Vadão.

No Penapolense, o fim do risco de descenso foi comemorado. Agora, o clube pensa na vaga na segunda fase para conseguir a participação na Série D do Campeonato Brasileiro. “Vamos enfrentar um time que vem muito bem na competição. No ano passado, passamos sufoco lá e, desta vez, não vai ser diferente”, alerta o zagueiro Diego Sacoman. “Queremos jogar bem, mas se não vier um bom futebol, é preciso que venham os três pontos”, ressalta o lateral-esquerdo Magal.

Escrito por:

Paulo Santana