Publicado 21 de Fevereiro de 2014 - 5h31

Nos três últimos anos, aumentou em 10,6% a quantidade de benefícios concedidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na região de Campinas.

Em 2011, os benefícios concedidos somavam 70.013 - desde auxílio-reclusão a aposentadoria por tempo de contribuição. Em 2013, o volume subiu para 77.440 benefícios concedidos.

No ano passado, o volume pago aos beneficiados somou R$ 5,53 bilhões. O aumento em relação a 2012 foi de 11,2%. No ano anterior, os recursos atingiram R$ 4,97 bilhões.

Balanço da gerência do INSS de Campinas, composta por 13 municípios, mostrou que entre os benefícios mais requisitados no órgão os que tiveram maior aumento foram auxílio acidente previdenciário (61,71%), aposentadoria por idade (27,54%), auxílio maternidade (19,72%), aposentadoria por invalidez - acidente de trabalho (21,51%) e auxílio-acidente (30,89%).

Por outro lado, houve queda de 6,55% nos benefícios de aposentadoria por tempo de contribuição e de 64% nas pensões por morte de acidente de trabalho.

O gerente executivo do INSS de Campinas, Odair Marcos Cremasco, afirmou que os sistemas eletrônicos agilizaram os pedidos de benefícios e facilitaram o acesso dos cidadãos aos benefícios da Previdência.

“No ano de 2011, nós registramos 70.013 benefícios concedidos. No ano passado, subimos para 77.440 benefícios. As aposentadorias por idade chegaram a 6.482 no ano passado e a quantidade de auxílios doença concedidos em 2013 foi de 41.301 benefícios concedidos”, apontou.

Ele salientou que o auxílio doença por acidente se manteve estável em relação a 2012. “A quantidade passou de 4.868 para 4.858 benefícios concedidos”, comentou. De acordo com os dados do INSS, a pensão por morte previdenciária caiu 0,68% e o auxílio-reclusão subiu 17,58%, passando de 273 para 321 entre os anos de 2011 e 2013.

O gerente executivo ressaltou que o volume de trabalho na regional de Campinas é grande e uma estratégia para atender com rapidez é otimizar o tempo dos servidores. A gerência regional planeja abrir mais duas agências na região em Paulínia e Jaguariúna.

Cremasco disse que os indicadores do órgão mostraram que 55% dos atendimentos são concluídos no mesmo dia que o segurado é atendimento no INSS. De acordo com dados da gerência local, no último dia 10 de fevereiro havia um estoque de 700 processos para serem despachados que tinham sido protocolados há mais de 45 dias, prazo limite definido na legislação.

Conforme o INSS, 471 pedidos estavam aguardando o segurado complementar a documentação e outros 229 processos estavam em fase de análise para serem concluídos. “Nosso estoque hoje é bem mais baixo do que fora no passado”, disse Cremasco.