Publicado 19 de Fevereiro de 2014 - 5h30

Até a chegada do técnico Oswaldo de Oliveira, Geuvânio era apenas uma das últimas opções para o ataque e em pouco mais de um mês se transformou em importante titular do novo Santos. O atacante de 21 anos seguiu os conselhos de companheiros mais experientes, deixou de se contentar em ser apenas coadjuvante, atuando em velocidade pela direita, e passou a gostar de fazer gol. O primeiro saiu no seu 16 jogo pelo profissional, na goleada por 5 a 1 contra o Botafogo, de Ribeirão Preto. E no jogo seguinte, marcou mais dois na vitória por 2 a 0 diante do Comercial.

"Geuvânio é grande jogador, tem velocidade e mobilidade e está evoluindo desde que passou a ouvir com mais frequência os conselhos dos companheiros mais experientes", afirmou o atacante Thiago Ribeiro. "O que nós procuramos mostrar para ele é que jogar bem não basta para atacante. É preciso fazer gol. E Geuvânio passou a fechar na diagonal, confunde a marcação da zaga adversária e demonstra frieza nas conclusões. É um garoto de futuro."

Se o garoto está bem, o mesmo não acontece com a estrela Leandro Damião. Só se passaram três jogos, mas o jejum de gols do ex-jogador do Internacional já está incomodando a torcida do Santos. O jogador, contratado por R$ 42 milhões, ainda não marcou com a camisa santista e, desde que entrou no time, o rendimento da equipe caiu. No último domingo, o clube sofreu a primeira derrota no Campeonato Paulista para o Penapolense, por 4 a 1.

Para Thiago Ribeiro, a demora para marcar o primeiro gol é normal. "O Damião vem rendendo bem, apenas não conseguiu fazer um gol. Claro que tem a ansiedade, todo o atacante é assim, mas ele tem muita vontade de fazer. Depois do primeiro dá uma aliviada, o jogador entra mais solto", explicou o companheiro. "Estamos tentando ajudá-lo." (Da Agência Estado)