Publicado 22 de Fevereiro de 2014 - 6h00

ig-carlo-carcani

AAn

ig-carlo-carcani

Depois de uma quarta-feira com três vitórias (a segunda da temporada, por sinal), o futebol campineiro também tem um sábado cheio, com seus três times em ação no Paulistão e na Série A2.

Na coluna de ontem, escrevi sobre a possibilidade de os três disputarem juntos a próxima edição do Paulista, o que seria muito interessante para a cidade. Alguns leitores contestaram o uso do termo dérbi para os confrontos entre os três times.

É claro que o dérbi de Campinas sempre será Guarani x Ponte Preta, mas a palavra também é um sinônimo para encontros entre times da mesma cidade. Londres, por exemplo, tem uma coleção de dérbis.

Talvez no futuro os duelos entre Ponte Preta x Red Bull e Guarani x Red Bull ganhem um nome próprio. Vai depender muito da capacidade do Toro Loko de alcançar seus objetivos.

Muitos bugrinos e pontepretanos olham para o Red Bull como se fosse um adversário inferior, que nunca passará de um time de segunda ou terceira divisão estadual. Outros o qualificam como "time de empresários", como tantos outros que temos pelo País afora.

Quem pensa assim muito em breve se surpreenderá. Para começo de conversa, os chamados "times de empresários" existem para gerar lucro com a compra e venda de atletas. O resultado de campo não é importante. Nem o nome do time é.

Com o Red Bull é diferente. A meta é associar a marca a um time forte, vencedor. O Red planeja disputar o Paulistão, conquistar uma vaga na Série D e rumar ao Brasileirão.

Para isso, claro, terá que concorrer diretamente com os times tradicionais da cidade. E por ter capacidade de planejamento, estrutura e recursos, não tenho dúvida de que em breve o Red Bull será capaz de realizar algumas temporadas melhores do que as de Ponte e Guarani.

Não faz diferença se torcedores bugrinos e pontepretanos olham hoje para o Toro Loko como um adversário inofensivo. As duas diretorias, porém, devem não apenas respeitá-lo, como também estudá-lo.

Na quarta-feira, pela Liga Europa, o Red Bull Salzburg foi à Holanda e fez 3 a 0 no Ajax na Liga Europa. Já o Red Bull Leipzig começou na 5 divisão da Alemanha e está muito próximo do acesso à 2. A meta é a Bundesliga. Desprezar o Red Bull Brasil é um erro que pode ser cometido por torcedores, mas não por profissionais.

O mercado já dá sinais de conhecer a força do Toro Loko. Dinélson, por exemplo, esteve recentemente nos planos da Ponte. Chegou ao Majestoso, mas vai vestir outra camisa. Essa concorrência será ainda maior quando o Red Bull estiver na elite. Quando isso acontecer, o clube não pensará apenas em vender jogadores. Pensará em vencer.