Publicado 21 de Fevereiro de 2014 - 8h17

Por Maria Teresa Costa

Projeto prevê ciclovia ao longo do ramal da maria-fumaça

Janaína Ribeiro/Especial a AAN

Projeto prevê ciclovia ao longo do ramal da maria-fumaça

A implantação de uma ciclovia de cerca de 15 quilômetros ao longo do trajeto da maria-fumaçamaria-fumaça, entre Jaguariúna e Campinas, vai custar R$ 3 milhões. O projeto foi encaminhado pelo prefeito Jonas Donizette (PSB) ao Ministério do Turismo na tentativa de obter financiamento para a obra, cujo custo será partilhado entre as duas cidades.

A proposta de construção das ciclofaixas foi feita pelo prefeito de Jaguariúna, Tarcísio Chiavegato (PTB), que vê na implantação desse caminho para bicicletas, uma forma de incrementar o turismo e também facilitar o deslocamento de moradores entre as duas cidades. Jonas disse que o projeto prevê, também, a instalação de bicicletário para estacionamento e locação de bikes nas estações de parada da maria-fumaça - Jaguary, Carlos Gomes e Anhumas.

'Promissor'

"É um projeto promissor, temos um trajeto plano, e acredito que não teremos problemas com a obra, que é relativamente simples. Vamos precisar do financiamento", afirmou. O prefeito lembrou que a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) tem um plano municipal de ciclovias que prevê o incentivo ao uso de bicicletas como transporte e a construção de cerca de 100 quilômetros de via exclusivas.

O trajeto da maria-fumaça entre Campinas e Jaguariúna é parte do ramal da Companha Mogiana de Estrada de Ferro e que forma a atual Viação Férrea Campinas-Jaguariúna. A primeira estação é a Anhumas. Construída em 1926, foi a principal parada depois das estações Central e Guanabara. O prédio está conservado, mas foi alterado ao longo do tempo, mesmo porque ela não é a original da ferrovia.

 

Veja também

Escrito por:

Maria Teresa Costa