Publicado 20 de Fevereiro de 2014 - 5h00

Por Milene Moreto

Milene Moreto - ig

AAN

Milene Moreto - ig

As últimas duas alterações no primeiro escalão do governo do prefeito Jonas Donizette (PSB) replicaram na Câmara de Campinas. Isso porque uma das secretarias, a de Planejamento, deixou de ser do PSDB e foi parar nas mãos dos comunistas. Alguns parlamentares aliados do Executivo avaliaram que o PCdoB já tem uma boa participação e que se era para a pasta trocar de mãos, que fosse para partidos que ainda não receberam nenhum posto de comando.

Independentes

Sempre que integrantes da base governista se mostram insatisfeitos com a divisão de cargos no Executivo, surge uma movimentação na Câmara dos que se posicionam como independentes e uma promessa de rebelião. Ao longo do primeiro ano do governo do prefeito Jonas, foram feitas várias ameaças. Mas na hora de defender o Executivo, manter vetos e aprovar projetos, a união dos parlamentares sempre foi sólida.

Sem problemas

Quem deveria reclamar da troca, os tucanos, parece não se preocupar com a substituição. Mas também não existe motivos para queixas. Afinal, o que não falta no Executivo de Campinas é vaga para o PSDB. Jonas contabiliza Até agora cinco trocas no seu primeiro escalão desde janeiro.

Nome aos bois

O projeto de lei do vereador Artur Orsi (PSDB) que obriga as empresas públicas de Campinas a publicar todos os nomes de funcionários que ocupam cargos em comissão permanece dentro de alguma gaveta na Câmara e muito bem guardado. O tucano apresentou a proposta durante a crise do governo do prefeito cassado Hélio de Oliveira Santos (PDT). Não existe nenhuma movimentação na Casa para que os nomes dos apadrinhados políticos venham à tona.

A comissão

O comando da Comissão de Saúde na Câmara de Campinas gerou discussão. O vereador Pedro Tourinho (PT), que é médico, reivindicou a presidência. Gilberto Cardoso, o Vermelho (PSDB), entrou no jogo e faturou a vaga.

Nomeação

A presidência da Comissão da Saúde na Câmara ficou vaga porque o ex-presidente, Thiago Ferrari (PTB), assumiu a comissão de Cultura e Esporte, que tinha como líder, Gustavo Petta (PCdoB). O comunista deixou a Câmara na última semana para assumir uma cadeira de deputado federal.

Título para o Padilha

Ainda na Câmara de Campinas, os vereadores receberam nesta quarta-feira (19) alguns e-mails contrários a aprovação do título de Cidadão Campineiro para o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT). A proposta de autoria do vereador Carlinhas Camelô (PT) foi aprovado na sessão de ontem.

De fininho

Os parlamentares do PSDB e do PSOL deixaram o plenário para não se posicionarem. Quem ficou e votou favorável, mas não é do PT, alegou que o título foi concedido ao ex-ministro da Saúde e ao pré-candidato ao governo do Estado de São Paulo.

Plantonistas

A Prefeitura de Campinas pretende anunciar na próxima semana uma proposta para tentar sanar o problema da falta de médicos plantonistas na cidade. O comentário na Câmara é que Jonas vai encaminhar um projeto de lei que permite que todos os médicos da cidade entrem num cadastro único para atuar na rede pública. Sendo assim, se algum profissional concursado faltar, o Executivo pode chamar outro médico que esteja no cadastro para cobrir o buraco. Resta saber se a ideia vai trazer resultados.

Escrito por:

Milene Moreto