Publicado 19 de Fevereiro de 2014 - 20h40

Por Yasmine Souza

Formandos de quatro cursos da Fundação Hermínio Ometto (Uniararas) tiveram o festa de formatura cancelada no último sábado (15), em Araras, depois que a empresa alegou estar sem dinheiro para pagar o bufê.

A empresa responsável, Servifest Eventos, cancelou o evento nas vésperas, por voltas das 17h, da sexta-feira (14), e deixou 61 alunos na mão, além dos 700 convidados que participariam da comemoração.

Os formandos foram até o salão onde a festa aconteceria para tentar conversar com a empresa, mas seguiram para a delegacia de polícia para registrar um boletim de ocorrência coletivo por conta da quebra contratual.

A aluna de psicologia Letícia Betini, 22 anos, que é integrante da comissão de formatura, conta que foram investidos R$100 mil na festa e que não havia nenhum formando inadimplente.

Mesmo assim, a empresa só pagou o salão onde a festa aconteceria e a banda. "Na semana passada, ligamos para todos os contratados e confirmamos os pagamentos feitos pela Sevifest. Só o Bufê não havia sido pago, mas falaram que era normal a empresa pagar na véspera", conta Letícia. A quinta-feira, dia 13, os alunos foram avisados que o pagamento ainda não havia sido feito, mas só na sexta-feira a empresa comunicou que não tinha o dinheiro, cerca de R$36 mil para pagar o bufê, e que a festa não iria acontecer.

O analista de qualidade Rafael Aparecido Amancio, 22 anos, conta que o grupo assinou o contrato com a empresa Sagae, mas só depois descobriram que a Servifest era a responsável pela festa. "A Sagae só cuida das fotos e filmagens. Assinamos o contrato porque a Sagae é conhecida e não nos preocupamos", afirma.

A Sagae esteve no salão onde a festa iria acontecer, no último sábado, cumprindo o contrato. "Além dos alunos dos cursos de psicologia, gestão de qualidade, gestão de produção industrial e sistemas de informação, os alunos do curso de estética também tiveram a festa, que aconteceria no próximo sábado cancelada", afirma Rafael.

A empresa Cartoon Formaturas, com sede em Campinas, se ofereceu para realizar o baile dos dois grupos lesados no próximo sábado (22), para tentar ajudar os alunos. Para isso, o estudante que quiser participar terá que gastar mais R$ 600. Os estudantes ainda não decidiram se irão aceitar a proposta. Uma reunião foi marcada para noite desta quarta-feira (19). "Já gastamos tudo o que podíamos", afirma Rafael.

Escrito por:

Yasmine Souza